DR

Crescimento do turismo no Porto e Norte muito próximo dos dois dígitos

O crescimento da atividade turística da região do Porto e Norte, nos primeiros nove meses do ano, aproxima-se dos dois dígitos, liderando a análise a nível nacional.


Comparativamente ao período homólogo do ano passado, a região cresceu 9,6 por cento, somando mais de 8,3 milhões de dormidas no total.

Para Luís Pedro Martins, presidente do Turismo do Porto e Norte (TPNP), “os dados hoje divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística confirmam que a região manteve e reforçou a sua tendência de crescimento, seja nas dormidas seja nos proveitos, não só com resultados assinaláveis, mas em contraciclo com as quebras nos valores globais nacionais verificadas em setembro”.

O responsável realça, também, “a subida no RevPar, que mede a relação entre os proveitos de aposento e o número de quartos disponíveis, significando que a região do Porto e Norte consolida o seu estatuto de terceiro destino nacional”.

Luís Pedro Martins considera estes números “extremamente positivos, não só comparativamente com o desempenho no período homólogo do ano passado, mas também com o posicionamento do Porto e Norte no cenário nacional”.

Relativamente apenas ao mês de setembro, o crescimento foi de 8 por cento, totalizando 1,1 milhões de dormidas. Um registo claramente superior ao das restantes regiões do país.

Em termos de dormidas de não residentes, o desempenho da região do Porto e Norte regista uma evolução de 10,5 por cento em setembro e de 11,4 por cento desde o início do ano.

O Norte liderou também, nos primeiros nove meses do ano, as dormidas totais no segmento do turismo no espaço rural e de habitação, concentrando 30,5 por cento do total nacional.

Destaca-se, igualmente, no que respeita ao alojamento local, com uma quota de 20,9 por cento, apenas atrás da Área Metropolitana de Lisboa.

Em termos de evolução dos proveitos, o Porto e Norte é também uma das regiões em destaque com acréscimos de 12,4 por cento nos proveitos totais, representando mais de 17 milhões euros, mantendo a trajetória de crescimento que, no acumulado desde o início do ano, registou uma subida de 14,1 por cento, correspondendo a um aumento de 112 milhões de Euros. Nos proveitos por aposento, a Região registou em setembro, uma subida de 11 por cento.

Destaque, ainda, para o desempenho do município do Porto, que regista em termos nacionais 6,1 por cento das dormidas totais em setembro e 6,2 por cento do total desde o início do ano. Os não residentes representam 83,3 por cento das dormidas registadas no conjunto dos primeiros nove meses de 2019. Desde janeiro, as dormidas no Porto aumentaram 9,6 por cento.

Segundo os dados hoje divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística, de janeiro a setembro, entre os municípios mais representativos no total nacional, sobressai Matosinhos com a maior quota de residentes (58,9 por cento), seguindo-se Braga (51,4 por cento).

Para o presidente da TPNP “o desempenho do turismo na região do Porto e Norte permite encarar o futuro com muito otimismo”. A título de exemplo cita os dados divulgados esta semana no Atlas da Hotelaria 2019, da consultora Deloitte, que identifica o Porto como uma das cidades portuguesas mais atrativas para o investimento hoteleiro em 2020, a par de Lisboa.

Comentários