DR

Mercado Medieval encerrou Feira Anual de Santo André

Mesão Frio viajou no tempo, até à Época Medieval, no último dia da Feira Anual de Santo André.


Como já é tradição, esta iniciativa conferiu um ambiente único à vila, com o grande cortejo medieval que percorreu as principais ruas da vila. A animação de rua ficou a cargo do Grupo de Bombos de Telões, do Grupo de Bombos Os Azevedos e do Grupo de Bombos da Associação Cultural e Desportiva de Vila Marim.

Trajes e personagens medievais fizeram reviver a época ancestral que todos os anos conduz habitantes e visitantes aos primórdios mais profundos da fundação da vila porta do Douro. O Mercado Medieval abriu ao público pela manhã, no edifício dos Paços do Concelho e pelas 14 horas, o desfile teve início na Rua do Balcão, com figurinos medievais oriundos de todas as freguesias do concelho e demais participantes que se quiseram associar, juntamente com cuspidores de fogo, malabaristas, saltimbancos e jograis.

Na varanda do edifício dos Paços do Concelho, foi recitada a carta da feira, perante a enorme moldura humana que se juntou na Avenida Conselheiro Alpoim. No cenário único do Convento de São Francisco, houve danças do ventre, falcoaria com demonstrações de voo livre, músicas medievais e animação musical a cargo do Grupo de Gaiteiros Medievais Arribamonte.

A artista Rita Miguel, detentora do recorde do Guiness 2019, com a maior labareda do mundo, apresentou o surpreendente espetáculo de dança e fogo “Lenda da Mulher de Fogo” e, no mesmo espaço, a Companhia de Teatro Filandorra dramatizou a peça “Histórias Medievais – Contos de Tradição”.

No final do cortejo, a autarquia ofereceu sopa quente e biscoitos de Vila Marim a todos os presentes que viajaram até ao reinado de D. Afonso Henriques.

Terminou com “chave de ouro” uma das maiores feiras anuais do país, visitada por milhares de pessoas que assinalaram o momento histórico de Mesão Frio, reavivando as suas tradições e memórias.

Comentários