DR

COVID-19

Alunas chinesas do Instituto Politécnico de Bragança vão ficar em quarentena

Estudantes vão regressar a Portugal depois de terem viajado para a China em férias. Mobilidade de estudantes da China foi suspensa no segundo semestre como medida de prevenção da propagação do vírus Covid-19.


Em declarações à Agência Lusa, Orlando Alves, presidente do IPB, informou que “é puramente uma medida preventiva”.

As duas alunas chinesas, que frequentam cursos de licenciatura na instituição, vão estar em isolamento durante 14 dias, numa ação de prevenção articulada entre o politécnico e a Delegação de Saúde Pública, assim que regressarem da China.

Já os estudantes da chamada mobilidade que estava previsto chegarem da China para fazerem o segundo semestre no IPB, cancelaram a viagem por decisão das próprias universidades chinesas, também no âmbito das medidas preventivas em curso a nível mundial, como explicou o presidente do politécnico de Bragança.

O politécnico de Bragança tem vários alunos chineses entre os cerca de três mil estrangeiros de 70 nacionalidades que frequentam esta instituição de Ensino Superior e que representam um terço do total de estudantes

A epidemia provocada pelo coronavírus (Covid-19) detetado em Wuhan causou já 1.380 mortos, tendo a China reportado hoje 121 mortes nas últimas 24 horas.

Segundo a Comissão Nacional de Saúde, o número de infetados cresceu 5.090, para 63.581.

O balanço é superior ao da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS, na sigla em inglês), que entre 2002 e 2003 causou a morte a 774 pessoas em todo o mundo, a maioria das quais na China, mas a taxa de mortalidade permanece inferior.

Além da China continental, Hong Kong, Japão e as Filipinas reportaram um morto cada um e, embora 30 países tenham diagnosticado casos de pneumonia por Covid-19, a China responde por cerca de 99% dos infetados.

Comentários