DR

Centro de diagnóstico do Alto Tâmega abriu com capacidade para 50 testes diários

O centro de diagnóstico à covid-19 para o Alto Tâmega, instalado em Chaves, abriu hoje com capacidade para 50 testes diários, que pode ser aumentada se necessário, disse o presidente da Câmara de Chaves.  


O autarca de Chaves, no distrito de Vila Real, falava durante a inauguração do centro de diagnóstico que resulta de uma parceria entre a Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Tâmega, o município de Chaves e os Laboratórios Germano de Sousa.

“Apesar de o município de Chaves integrar a CIM Alto Tâmega tem uma participação diferente, porque desde logo cedeu o espaço físico e meios logísticos para que o centro de triagem possa funcionar e também vai disponibilizar recursos humanos, para reforçar a equipa de recolha das amostras necessárias para o diagnóstico à covid-19”, explicou.

Este centro de triagem, instalado no Centro Cívico de Chaves, está aberto de segunda a sexta-feira e terá na fase inicial capacidade para 50 testes diários, incluindo recolhas de testes desde a viatura.

Nuno Vaz referiu ainda que haverá uma avaliação por parte do laboratório “para perceber quais são as necessidades da comunidade”, que envolve os seis concelhos do Alto Tâmega.

“Será avaliada e as autoridades de saúde e laboratórios farão tudo o que estiver ao alcance para aumentar a capacidade disponível para que possa haver progressivamente uma maior capacidade de resposta”, vincou.

A parceria conta com os seis municípios da CIM Alto Tâmega: Chaves, Boticas, Valpaços, Montalegre, Vila Pouca de Aguiar e Ribeira de Pena.

“Nos locais especialmente preparados em cada centro de saúde do Alto Tâmega a própria recolha do material para análise será depois conduzida para o centro de triagem de Chaves, com a cooperação dos municípios que assegurarão o transporte desse material de colheita”, adiantou.

Segundo Nuno Vaz, esta era uma solução que já vinha a ser procurada nas duas últimas semanas, e que teve de aguardar a validação e a autorização da Administração Regional de Saúde (ARS) do Norte para que pudesse efetivamente permitir que os doentes da linha Saúde 24 pudessem ser encaminhados para este centro de triagem.

Esta solução permitirá também que eventuais contagiados possam de uma forma mais precoce ser naturalmente detetados e tratados adequadamente pelos serviços de saúde, acrescentou.

Segundo o diretor-geral do grupo Germano de Sousa, Manuel Magalhães, o objetivo da criação do centro de diagnóstico em Chaves é “promover a dispersão para tamponar zonas que ainda possam estar com baixo número de focos para que se em algum momento surgir um surto este seja rapidamente detetado”.

O responsável dos laboratórios, que num total de nove centros estão a realizar dois mil testes diários, e contam com 70 técnicos no terreno e um total de 900 colaboradores, explicou ainda que a vontade é de “realizar testes em maior número”, mas existem “limitações”.

“Precisamos de máquinas para fazer este processo, recursos humanos, que estão atualmente a trabalhar 24 sobre 24 horas, e a chegada de reagentes, pois há encomendas que estão para chegar e não chegam na data esperada”, adiantou.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 940 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 47 mil.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 209 mortes, mais 22 do que na quarta-feira (+11,8%), e 9.034 casos de infeções confirmadas, o que representa um aumento de 783 em relação à véspera (+9,5%).

Dos infetados, 1.042 estão internados, 240 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 68 doentes que já recuperaram.

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março, tendo a Assembleia da República aprovado hoje o seu prolongamento até ao final do dia 17 de abril.

Comentários