DR

AFVR “é uma referência nacional” na formação de treinadores

Associação de futebol na “linha da frente” a nível nacional na formação inicial e contínua de treinadores.


A AFVR concluiu mais um conjunto de ações de formação contínua para treinadores de futebol e futsal. Realizadas por videoconferência, devido à pandemia Covid-19, cada uma das seis ações teve a participação de cerca de 450 treinadores, do grau I ao grau IV. O facto de ser por videoconferência alargou o espetro de participantes, que não se limitou a treinadores do distrito de Vila Real, mas contou também com inúmeros participantes de todos os pontos do país, das ilhas e até do estrangeiro.

A dinâmica que a AFVR apresentou “surpreendeu” os muitos treinadores, que fizeram questão de “parabenizar efusivamente” a AFVR pelo trabalho desenvolvido e pela oferta formativa que proporcionam. 

António Marques, presidente da AFVR, refere que “de 2013 a 2015 apenas tinha havido dois cursos de futebol UEFA C/Grau I. Era entendimento da direção que entrou em funções em 2015 que a formação de treinadores era um instrumento poderosíssimo para ajudarmos a desenvolver o futebol e futsal distritais. Decidimos, então, reduzir os preços que vinham a ser praticados e mantivemos no grau I de futebol, pois era um curso que já vinha a ter procura, mas reduzimos 100€ ao futsal grau I e ao grau II de ambas as modalidades”.

Esta época, para além dos estágios dos cursos iniciados na época passada, a AFVR tem em funcionamento quatro cursos de treinadores, nomeadamente de futebol UEFA C/Grau I e UEFA B/Grau II e de futsal UEFA C/Grau I e UEFA B/Grau II. 

APOSTA NA FORMAÇÃO “É PARA CONTINUAR”

O presidente da AFVR reitera que a aposta na formação de treinadores é para continuar e destaca uma medida que foi tomada esta época e que visa trazer mais mulheres para o treino. “Consideramos importante trazer mais mulheres para o treino, vendo isto também como um fator preponderante para o desenvolvimento do futebol e futsal no feminino. Como forma de incentivo, criamos uma tabela de preços específica para mulheres, com uma redução de taxas que consideramos muito significativa. Com isto, esta é a época em que temos mais mulheres a fazer os nossos cursos de treinadores, 10 no total, quando costumavam ser 3 a 4 por época”.

O coordenador da formação, Carlos Soares, sublinha que “a AFVR contínua a ser uma referência de formação para treinadores de distritos vizinhos, contudo, conseguimos inverter os números e, neste momento, os nossos cursos têm maioritariamente formandos do distrito de Vila Real. Não que a procura pelos formandos de fora tenha diminuído, bem pelo contrário, mas antes porque já começa a ser facilmente entendido pelos agentes desportivos do nosso distrito que quem quer trabalhar como treinador tem que fazer a respetiva formação, pelo que conseguimos aumentar o interesse e procura por parte de potenciais treinadores da nossa área geográfica”.

António Marques e Carlos Soares não têm dúvidas. “A formação de treinadores da AFVR é hoje reconhecida como uma formação de qualidade, que alia a excelência na organização e o rigor e exigência que devem estar adjacentes ao desempenho da função de treinador desportivo”. 

Acrescentam ainda que este reconhecimento “deve-se ao trabalho que direção e gabinete técnico têm desenvolvido nesta área, mas, também, à qualidade dos formadores que colaboram com a AFVR nos seus cursos”.

Comentários