DR

ANAM fecha ciclo de diálogos com Assembleias Municipais e debate caminhos a percorrer

Hoje, às 19h00, em Bragança, com a presença de secretário de Estado do Planeamento


A ANAM (Associação Nacional de Assembleias Municipais), realiza no próximo dia 3 de julho, pelas 19h00, no Hotel São Lázaro (Avenida do Sabor, nº 2), em Bragança, uma conferência subordinada ao tema “O que nos ensinou a pandemia no âmbito do planeamento estratégico – Caminhos a percorrer”. 

A conferência contará com a participação de Cristina Azevedo, consultora na área do Desenvolvimento Regional e Fundos Comunitários, e será encerrada pelo Secretário de Estado do Planeamento, José Gomes Mendes.

Nesse sentido, e tendo em conta a temática da palestra, José Gomes Mendes, Secretário de Estado do Planeamento afirma: "A pandemia da Covid veio demonstrar a rigidez dos sistemas de planeamento estratégico, cuja inércia é inibidora de respostas flexíveis e antecipadamente desenhadas. Se as cadeias logísticas à escala internacional revelaram pouca resiliência para dar resposta, por exemplo, à necessidade de equipamentos médicos e de proteção individual, já as políticas de confinamento de proximidade se têm mostrado chave para a contenção do surto. É por isso que o Mecanismo de Recuperação e Resiliência apresentado pela Comissão Europeia tem de ter em cada Estado Membro um espelho que decline no território os seus princípios e o seu impacto regenerador. Da Europa à freguesia, num continuum de políticas e ações que nos recoloquem numa normalidade de crescimento que não será decerto aquela do passado".

O evento, tal como nas conferências anteriores, terá a participação de Albino de Almeida, presidente  ANAM, e servirá para abordar os “caminhos a percorrer, no âmbito do planeamento estratégico, pós pandemia”, também no quadro da Regionalização prevista em Lei de 1991 e do caminho e a importância do que está previsto para avançar, em curto espaço de tempo, tendo em conta as lições que já se podem recolher da atual de pandemia.

A oradora convidada, Cristina Azevedo, salienta que "o objetivo desta palestra é mostrar aos participantes da mesma, que o impacto territorial da pandemia deve ser acompanhado por uma gestão igualmente territorial da crise sanitária e económica. É algo que pretendo enfatizar para que todos percebam a verdadeira dimensão do que estamos a viver e as consequências que podem daqui advir".

Nesta palestra, que encerrará o ciclo de eventos da iniciativa “ANAM em diálogo”, os temas a serem abordados vão incidir, sobretudo, "o impacto territorial da crise, a governação comparada e a importância da governação sub-regional", revela a consultora.

 

Comentários