DR

Manifesto Cultural contra venda de barragens pela EDP

Cinco associações culturais do Planalto Mirandês uniram-se e apresentaram um manifesto cultural, onde chamam a atenção para as alegadas injustiças relativas à venda das barragens no Douro por parte da EDP.


Mais de meio milhar de pessoas já subscreveu o manifesto, onde os proponentes defendem que as receitas fiscais geradas por esta transação, pela tributação dos lucros anuais destas barragens, bem como o IVA da venda da energia, “beneficiam apenas o poder central”.

Acrescenta ainda que “mesmo os impostos municipais beneficiam quase exclusivamente a cidade de Lisboa, onde está a sede da EDP”. Na terra de Miranda, onde estão instaladas as barragens de Miranda do Douro, Picote e Bemposta, “não fica praticamente nada”, pode ler-se no manifesto enviado à agência Lusa.

O manifesto revela ainda que este modelo “é injusto e caduco”, uma vez que aquilo que sobra para a região “são os impactos ambientais

 

Se já é assinante faça aqui o seu login       ou       Clique aqui para ver OS EXCLUSIVOS da VTM

ASSINE AGORA A VOZ DE TRÁS OS MONTES

Acesso exclusivo e ilimitado
à edição digital
(site + e-paper)

Comentários