DR

Francisco Rocha conta com todos para vencer autárquicas

“Vencer as próximas eleições autárquicas é uma prioridade”. Este foi um dos objetivos políticos enunciados por Francisco Rocha, presidente da Federação Distrital de Vila Real do Partido Socialista, durante o encerramento do XIX Congresso Federativo, que se realizou em Mondim de Basto.


 O também deputado na Assembleia da Républica destacou que “em 2017 tivemos a maior e mais expressiva vitória socialista, no distrito de Vila Real, de sempre”, acrescentando que importa também, além da manutenção, ampliar a representação política nos restantes seis concelhos do distrito. Para isso, Francisco Rocha apela ao contributo de todos, salientando o papel importante das concelhias, das mulheres e da juventude socialista. 

Francisco Rocha fez questão de ressaltar a importância da próxima eleição da liderança das Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR), que se irá concretizar no próximo dia 13 de outubro. 

“O processo de descentralização e a próxima eleição da liderança das CCDR são passos decisivos no sentido de uma regionalização inteligente, da qual não desistimos de concretizar. Por isso, saudamos o nosso primeiro-ministro, António Costa, pela sua coragem no cumprimento desta promessa”, salientou, e que defende que no “novo elenco da CCDR do Norte devam estar personalidades de reconhecimento mérito“, alertando, porém, que “simultaneamente detenham uma elevada capacidade e leitura política, e que as pessoas o identifiquem e associem, sem qualquer esforço aos nossos territórios”. 

“Escolher três personalidades que nada dizem ao colégio eleitoral que os vão eleger, poderá significar dar um passo em falso, uma grande machadada neste processo que se quer exemplar e agregador da região Norte“, termina. 

Ao mesmo tempo, Francisco Rocha chamou a atenção para os próximos meses que “vão exigir de nós um exercício muito difícil. Um ponto de embraiagem muito delicado, que consiste em controlar a pandemia e recuperar Portugal“.

Acrescentou ainda que num horizonte próximo, onde se avistam sinais de crise e de muita incerteza, “existem desafios e investimentos, que não podemos, outra vez, perder: regionalização, descentralização, investimentos, digitalização, deslocalização de serviços, inovação, desafio demográfico, emprego e qualificações são bons exemplos disso“.

Em relação ao Plano de Recuperação e Resiliência, Francisco Rocha, disse que “não nos podemos distrair e devemos olhar para este Plano como um ponto de partida daquele que é o nosso foco principal: resolver problemas estruturais da região e não repetir erros do passado“. 

Teresa Rabiço, presidente da Câmara de Mondim de Basto, alertou para a necessidade de continuar a apostar na coesão territorial, com uma ação política e cívica mais próxima dos cidadãos. 

A sessão contou com a participação de António Costa, secretário-geral do PS, salientou a importância de, primeiramente, controlar a pandemia, ao mesmo tempo que se constrói um futuro sólido e estável para todos, consignando projetos estratégicos que salvaguardem um futuro mais sustentável do ponto de vista climático, social e mais moderno do ponto de vista digital.

O XIX Congresso da Federação Socialista de Vila Real aprovou por expressiva maioria a moção de orientação política “Construir | Mais e melhor” e serviu também para eleger a Comissão Política da Federação, a Comissão Federativa de Jurisdição e a Comissão Federativa de Fiscalização Económica e Financeira.

Comentários