Vitor Pimentel

A Placa

A grande novidade da última semana, por terras de Aquae Flaviae, foi o anúncio de que a saída 20 da A24 terá uma indicação de direção com a designação “Chaves Sul”. 


Considerando totalmente pertinente a colocação da nova placa na referida saída, ela não deixa de ser um exemplo paradigmático da governação socialista flaviense. Assim:

Tal como em outros casos, a necessidade da indicação de direção foi identificada pelo executivo anterior e foram desenvolvidos contactos prévios para a sua colocação.

Tal como em outros casos, o mérito da causa pertence a outrem, pois a realização do trabalho não depende diretamente da autarquia, mas do concessionário da A24.

Tal como em outros casos, o executivo municipal do PS aproveitou a situação existente para fazer propaganda e fanfarronice desproporcionadas face ao facto em causa.

E tal como em outros casos, soa a pouco, soa a muito pouco, porque no fundo estamos a falar de duas placas metálicas colocadas nos dois acessos, do km 17, da autoestrada.

Esta circunstância é mais uma, de várias, em que se pode fazer uma súmula clara e objetiva da atuação do Partido Socialista, nos últimos 3 anos de mandato, à frente dos destinos do Município de Chaves:

Todas as “pequenas vitórias”, por mais inócuas e irrelevantes que sejam, são publicitadas aos sete ventos como acontecimentos inéditos, fantásticos e extraordinários.

As “grandes vitórias” como os 500 empregos, as piscinas, o pavilhão multiusos, entre outros, ficarão para a próxima, porque não há vontade, nem capacidade, nem competência para mais.

Quando não há nada de interessante ou de marcante para mostrar, quando é fundamental iludir os flavienses perante um contexto dececionante, tudo é importante abrilhantar a realidade local. 

E no final, Chaves perdeu um mandato para se reinventar, para fazer diferente, para fazer mais e melhor pelos seus cidadãos e pelas suas empresas e organizações. 

Ao menos, ganhou uma placa.

Comentários