MF

Surto de Covid-19 leva população de Sanfins do Douro a ficar em casa

Escola primária, correios, junta de freguesia e os bombeiros de Sanfins do Douro fecharam devido a um surto de Covid-19. A população está resguardada em casa e só sai à rua com máscara.


Os primeiros casos positivos foram detetados na Associação Cultural e Social de Sanfins do Douro, tendo-se alastrado depois à comunidade desta vila do concelho de Alijó.

A presidente da junta de freguesia de Sanfins do Douro, Carla Miranda, disse à agência Lusa que, em consequência do surto, fechou hoje a Escola Básica (EB), onde estudam 25 crianças, separadas em duas turmas.

Na vila duriense estavam já encerrados os Correios, a junta de freguesia e os bombeiros também suspenderam temporariamente o serviço por causa de uma redução “drástica” do número de efetivos, em consequência de um elemento da corporação estar positivo e de outros que se encontram em isolamento.

O Agrupamento de Escolas D. Sancho II, com sede em Alijó, confirmou, em comunicado, que um aluno da EB de Sanfins do Douro fez um teste com resultado positivo ao novo coronavírus, adiantando que também na sede do agrupamento foi detetado um aluno do 7.º ano positivo, que reside em Sanfins do Douro.

O agrupamento explicou que todos os alunos destas duas turmas vão ficar em isolamento profilático até ao início de novembro (dias 02 e 03) e com regime de aulas à distância.

Em articulação com a autoridade de saúde pública, foi também decidido que a escola de Sanfins fica fechada e a segunda turma fica em isolamento por “precaução” porque os restantes alunos são considerados “contactos de alto risco”, já que ali há partilha de refeitório, por exemplo. Os demais alunos do agrupamento, segundo o comunicado, continuarão a frequentar as aulas em regime presencial.

A autarca Carla Miranda mostrou-se preocupada com a situação e referiu que a “população é muito idosa”, numa freguesia onde moram cerca de 1.200 pessoas. "As pessoas estão mais recolhidas em casa e só saem para o estritamente necessário”, como o trabalho, nomeadamente nas vinhas, referiu, sublinhando que, quem sai, "anda sempre de máscara na rua".

O primeiro caso positivo relacionado com a Associação Cultural e Social de Sanfins do Douro foi detetado no âmbito do rastreio por amostragem desencadeado pela Câmara de Alijó nas Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) e bombeiros do concelho.

Até então não havia registo de qualquer caso nesta freguesia e este foi, segundo Carla Miranda, “um abanão” para a comunidade.

 

Comentários