Peso da Régua reforça medidas para conter pandemia

A câmara da Régua anunciou hoje medidas complementares para conter a covid-19 como testes por amostragem nas escolas, lares e clubes desportivos, reativação da Zona de Concentração e Apoio à População e reforço de apoios para famílias carenciadas.


Até ao momento, o concelho de Peso da Régua contabiliza 42 casos ativos de infeção pelo novo coronavírus, 157 desde o início da pandemia, e integra a lista de 121 concelhos com risco elevado de transmissão do vírus que, a partir de hoje, estão sujeitos a medidas mais restritivas.

Em comunicado, o executivo, liderado por José Manuel Gonçalves, informou que aprovou medidas complementares às que foram decretadas pelo Governo, com o objetivo de “dar maior amplitude às respostas criadas para o concelho e, por conseguinte, garantir maior eficácia nas ações a pôr em marcha”.

“A realidade do concelho não se traduz em números, que fazem parte de uma qualquer equação, mas sim em pessoas que, diariamente, precisam de respostas de saúde, com a urgência necessária”, afirmou o autarca numa mensagem dirigida à população.

A câmara decidiu reforçar os testes por amostragem nas Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS), nos estabelecimentos de ensino e clubes desportivos, bem como garantir o transporte de pessoas para rastreio, o que será feito em articulação com a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários do Peso da Régua.

O município vai reativar a Zona de Concentração e Apoio à População (ZCAP), instalada no desativado Hospital D. Luiz I, e introduzir um serviço de recolha domiciliária de lixo às famílias infetadas ou em confinamento obrigatório, que não disponham de apoio para tal.

Irá ainda disponibilizar quatro técnicos superiores para apoio às equipas de rastreio epidemiológico a doentes covid-19 e reforçar a cantina social e a distribuição de bens alimentares a famílias carenciadas.

À disposição dos munícipes estão também linhas de apoio psicossocial e de apoio “espaço social”, que garante o encaminhamento das situações que necessitem de apoio mais específico.

O município disse que vai ativar o programa solidário ABEM - Rede Solidária do Medicamento, como forma de apoiar pessoas que se encontram em situação de carência económica e não conseguem comprar os medicamentos de que necessitam.

Vai também proceder à desinfeção dos espaços públicos, colocar dispensadores de gel desinfetante junto aos locais de espera dos centros escolares e distribuir equipamentos de proteção individual pelas IPSS e famílias de acolhimento.

Por fim, a câmara anunciou que vai reforçar a sinalética da iniciativa “Passeio + Seguro”, lançada em abril e que tem como objetivo incentivar a circulação das pessoas sempre pelo passeio do lado esquerdo das ruas, reduzindo, assim, cruzamentos e contactos entre os peões.

Comentários