DR

Com os corsos confinados, o Carnaval desfila este ano na internet

Nos municípios onde mais se celebra o Carnaval, os corsos não desfilam este ano devido à covid-19, mas muitas autarquias dão tolerância de ponto para que os foliões festejem em casa, mantendo algumas das tradições através da internet.


Apesar de o Governo ter decretado que este ano não havia tolerância de ponto para os funcionários públicos no Carnaval, são muitos os municípios que dispensam os seus funcionários na terça-feira - até porque o dia está previsto como feriado na generalidade dos contratos de trabalho em funções públicas -, mas pedem aos habitantes que se mantenham em casa e assistam às iniciativas ‘online’.

Na aldeia de Pitões das Júnias, em Montalegre (Vila Real), os caretos e os farrapões, em vez de percorrerem as ruas, vão desfilar “online”: a população foi convidada a mascarar-se, a tirar uma fotografia e a concorrer até terça-feira ao concurso “Caretos e Farrapões à moda de Pitões”.

Tal como manda a tradição, tanto caretos como farrapões têm de usar renda para tapar a cara e não podem ser reconhecidos pelas fotografias, que estarão expostas no site e Facebook da junta de freguesia, que dará prémios às três mais votadas.

Em Macedo de Cavaleiros (Bragança), os Caretos de Podence celebram o Entrudo Chocalheiro em casa, à varanda.

Na terça-feira, a partir das 17:30, será transmitida ‘online’ a cerimónia “Sentir Portugal” (sem público no local), e o dia termina com a queima do Entrudo, que este ano “queima” de forma simbólica o coronavírus, o causador da pandemia da covid-19.

Na pequena aldeia de Lazarim (Lamego), os caretos (máscaras tradicionais esculpidas em madeira) não podem andar à solta pelas ruas, mas estarão expostas à porta de cada um dos moradores.

 

Comentários