EN

EN

EN

EN

PCP saiu à rua para defender o SNS

Durante o dia de hoje, decorrem várias ações a nível nacional. Em Vila Real, a ação do partido comunista decorreu junto ao centro de saúde nº1.


Eram 9h00 em ponto quando a comitiva do Partido Comunista Português (PCP) iniciou a sua ação em favor do Sistema Nacional de Saúde (SNS), em Vila Real.

À porta do centro de saúde nº1, os comunistas foram abordando trabalhadores e utentes, dando a conhecer as suas ideias para reforçar o SNS, numa altura em que os esforços estão voltados para o combate à pandemia.

“É sabido que o SNS está sob uma grande pressão com o combate à pandemia e tem conseguido cumprir um papel fundamental. Sem o SNS estaríamos muito pior, mas é preciso olhar para a necessidade de o SNS regressar à normalidade, retomando o tratamento de todas as outras doenças que não a Covid-19 e para isso é necessário tomar medidas”, referiu Gonçalo Oliveira.

O dirigente deu como o exemplo a necessidade de “abrir mais camas, contratar mais profissionais, aproveitar todos os recursos disponíveis no SNS”, lembrando que “estas são medidas de urgência aprovadas no Orçamento de Estado. O Governo não tem desculpa para não pôr isso em prática”.

Gonçalo Oliveira destacou, ainda, o elevado número de contratos precários existentes, referindo que “aquilo que o Governo tem vindo a fazer é contratar médicos e enfermeiros a prazo, com contratos de quatro meses. Claro que isso não é positivo. Os profissionais de saúde que estejam a trabalhar lá fora não vão regressar para assinar um contrato deste género, sem ter garantias de que depois ficará com um contrato melhor”.

Notícia desenvolvida na edição de 25 de fevereiro

Comentários