Segunda-feira, 4 de Julho de 2022

Nova Direcção DA Associação do Douro Histórico quer apoiar a diversificação do tecido económico duriense

Depois de um mandato que representou a injecção de mais de 3,4 milhões de euros em projectos de desenvolvimento da região, a Associação Douro Histórico começa, agora, uma nova etapa, com uma reestruturada Direcção que quer que a Associação seja mais que um mera gestora do programa Leader + e intervenha, de facto, na dinamização […]

Depois de um mandato que representou a injecção de mais de 3,4 milhões de euros em projectos de desenvolvimento da região, a Associação Douro Histórico começa, agora, uma nova etapa, com uma reestruturada Direcção que quer que a Associação seja mais que um mera gestora do programa Leader + e intervenha, de facto, na dinamização e mobilização dos agentes promotores para a diversificação da economia duriense.

 

Como representante da Câmara Municipal de Sabrosa, José Marques tomou posse, no dia 11, do cargo de Presidente da Associação Douro Histórico (ADH), organização que engloba onze concelhos da região duriense.

Segundo o recém-empossado Presidente, a ADH deve começar por mobilizar os seus associados.

“Em primeiro lugar, é fundamental implementar toda uma dinâmica interna e traçar um plano estratégico”, sublinhou o autarca.

José Marques esclareceu que, durante este mandato de três anos, a Associação quer ter um papel ainda mais activo, no desenvolvimento da região, e não ser, apenas, um órgão de “mera gestão do programa Leader”.

Fortalecer e mobilizar agentes promotores e outras instituições é o objectivo da associação que diz ser necessário aproveitar as ajudas provenientes do Próximo Quadro de Referência Estratégica Nacional (QREN), para apostar da diversificação da economia duriense, incentivando, sobretudo, o empreendorismo, através do recurso não só ao programa Leader, mas, também, a outros programas e oportunidades de financiamento existentes.

“O objectivo é apoiar a diversificação da actividade, de maneira a não estarmos confinados ao sector vinícola, que, ao longo dos últimos anos, tem sofrido uma forte crise”, afirmou José Marques, defendendo que a associação deve apostar, também, na formação dos funcionários dos seus agentes promotores.

A ADH tem como principais objectivos “promover o desenvolvimento da região e contribuir para a conservação, valorização, estudo e divulgação dos bens culturais e do património público e privado”.

No último Quadro Comunitário de Apoio (2001/2007), graças à intervenção da associação, foi investido, em 121 projectos que mereceram o apoio do programa “Leader +”, um total de 3.404.501,44 euros, nos onze concelhos que fazem parte da área de jurisdição da associação.

A zona de intervenção da associação abrange Alijó, Armamar, Lamego, Mesão Frio, Murça, Régua, Sabrosa, Santa Marta de Penaguião, São João da Pesqueira, Tabuaço e Vila Real, num total de 129 freguesias, envolvendo cerca 100 mil habitantes.

Na Direcção da ADH, encontram-se, agora, também, as Câmaras Municipais de Murça (Vice-Presidente), Alijó (Secretário) e Tabuaço (Tesoureiro) e, ainda, como Vogal, a Associação Empresarial de Vila Real (Nervir).

 

Maria Meireles

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.