Domingo, 17 de Outubro de 2021

O futuro da juventude e a mudança de paradigma

“Os jovens dos 15 aos 25 anos não encaram a política como encaravam os nossos actuais políticos há 30 anos atrás. Não temos hoje uma Revolução de Abril nem tão pouco uma luta pela democracia que una os jovens num objectivo comum de mudar o sistema.”

-PUB-

Com os habituais comentários dos sábios que só sabem dizer que a juventude anda afastada da política e que é preciso atraí-los para as lides públicas, notamos que, mais do que a insistência num diagnóstico básico e reconhecido por todos, é necessário ajustar ideias e solucionar problemas.

As juventudes partidárias têm sido um foco de envolvência dos jovens com a política mas, como se sabe, a filiação partidária não significa sempre actividade, bom interesse ou interacção. Como foi acontecendo, os filiados nos partidos são muitas vezes encarados como simples sindicatos de voto, como membros emigrados ou fantasmas de famílias grandes que, na realidade da discussão quotidiana do espectro político, se cingem a famílias muito pequenas. E

Artigo exclusivo PREMIUM

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é PREMIUM,
Aceda à sua conta em

Mais Lidas | opinião

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.