Quarta-feira, 6 de Julho de 2022

“O nosso desafio é ajudar os alunos a chegar ao topo”

As obras e a pandemia foram dilemas com que o Agrupamento de Escolas de Murça teve de lidar nos últimos dois anos. No entanto, a fase mais complicada já terá ficado para trás e, agora, o futuro apresenta-se mais risonho.

O diretor do Agrupamento, José Alexandre, aguarda pacientemente pelo fim das obras, o que deverá acontecer “muito breve”, como adiantou à VTM.

“Iniciaremos o próximo ano letivo com uma escola nova por dentro e por fora. A intervenção incide ao nível das estruturas e espaços exteriores e interiores, que serão apetrechados com mobiliário e equipamentos laboratoriais. Vamos ter equipamento de topo, com computadores, projetores, painéis interativos, que irão proporcionar melhores condições para os nossos alunos”, sublinhou, adiantando que garantem “sempre uma oferta entre o ensino regular e o profissional, para que cada um dos nossos alunos tenha o maior apoio possível para chegar ao topo. É isso que nos move”.

“Cada aluno é um bom motivo de luta e dignificação do nosso trabalho. Garantimos acompanhamento a todos, para que se sintam bem”
JOSÉ ALEXANDRE
DIRETOR

Com os desafios que trouxe a pandemia às escolas, o diretor refere que ensino “assenta essencialmente numa matriz presencial”, em que a relação pedagógica “é muito mais fácil se for olhos nos olhos”.

No entanto, sustenta que “foi admirável” a capacidade com que as organizações escolares e os seus profissionais se adaptaram num contexto difícil, garantindo um contacto muito mais do que mínimo com os alunos e as suas famílias, mantendo o processo de aprendizagem a decorrer. Mas nada substitui o ensino presencial”.

Agora, é preciso recuperar as aprendizagens, um processo que foi abraçado por todos os professores. “Estamos a trabalhar no Plano 21|23 Escola+, onde todos os docentes estão envolvidos, assim como os técnicos do Plano Integrado e Inovador de Combate ao Insucesso Escolar (PIICIE), em que acompanhamos os alunos, no sentido de trabalhar a flexibilidade, a resiliência, a persistência, para que tenham autonomia processual e cognitiva, e possam trabalhar essa recuperação”.

Com 505 alunos, 90 professores e cerca de 35 assistentes operacionais, para além da componente de ensino regular, o Agrupamento oferece ainda vários cursos profissionais, como técnico de desporto, auxiliar de saúde e técnico de automação e computadores, que permite aos alunos escolher aquilo que mais se adequa às suas preferências.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.