Quarta-feira, 17 de Agosto de 2022
Rui Santos
Rui Santos
Presidente da Câmara Municipal de Vila Real

DIREITO DE RESPOSTA: O porta-voz nº 1 do PSD de Vila Real continua a mentir

DIREITO DE RESPOSTA

-PUB-

O porta-voz nº 1 do PSD de Vila Real, Levi Leandro, continua a sua missão obcecada. E se a sua missão fosse trazer aos Vila-realenses propostas alternativas, estratégias diferentes do seu partido para o concelho, nada me caberia dizer. Mas, lamentavelmente, a missão do porta-voz da oposição passou a ser mentir, enganar, ludibriar, como se os Vila-realenses fossem tolos. Não são.

No passado dia 21 de julho, o porta-voz nº 1 do PSD de Vila Real publicou neste jornal um artigo que titulou “Tribunal de Contas nas Piscinas. Arrasador…”. Compreendo bem a outra obsessão de Levi Leandro: os tribunais. De facto, é um especialista. Ao contrário de mim, que sou o seu alvo favorito, ele já foi condenado várias vezes, e sempre por “más contas” e dívidas ao Estado. Talvez isso o motive a tentar acusar outros das suas próprias falhas. Aliás, o artigo de 21 de julho começa por aí. Diz o porta-voz nº 1 do PSD que “(…) neste mandato, o endividamento autárquico está cerca de 7 milhões de euros acima do que efetivamente transitou do anterior presidente (…)”. Não há duas maneiras de qualificar esta afirmação: é simplesmente mentira! O Relatório de Gestão e Contas Consolidado do Município é público e validado por inúmeras instituições, incluindo o Tribunal de Contas.

Nele se constata que, a 31 de dezembro de 2013 (3 meses após a minha eleição), a dívida do grupo Município era de 27.307.294,16€. No dia 31 de dezembro de 2021 (há cerca de 7 meses, sendo que não houve novos empréstimos desde então) a dívida total era de 13.970.123€. Ou seja, na verdade, ao contrário do que afirma o porta-voz nº 1 do PSD, a dívida do grupo municipal diminuiu em 13,3 milhões de euros desde que assumi a presidência do Município de Vila Real. Dê as piruetas que der, tudo o que ele afirme diferente disto, é simplesmente mentira.

E já que fala do anterior presidente, é curioso verificar como tem uma memória seletiva. Diz no artigo que, se o projeto de financiamento das piscinas tivesse ido a uma Assembleia Municipal 45 dias antes, o Tribunal de Contas já não se pronunciaria desfavoravelmente. Fico contente. Significa que, ao contrário do que ele próprio tenta fazer passar, todo o processo estava bem instruído, dentro da legalidade e da capacidade de endividamento do Município. Mas o que se esquece de dizer é que poderíamos não ter que levar as piscinas à Assembleia Municipal nem 45 dias, nem 450 dias antes. Bastaria para tal que, o anterior presidente que refere, já as tivesse construído em 2012, quando teve vários milhões de euros de fundos comunitários aprovados para esse projeto. Em vez disso, gastou 300 mil euros num projeto para instalar as piscinas no Campo do Calvário, que depois foi para uma gaveta, da qual nunca sairá. E o financiamento comunitário foi devolvido a Bruxelas, com prejuízo evidente para o concelho.

Agora, resta a este atual presidente construir as novas piscinas municipais a expensas próprias do Município. E porque se trata de um enorme investimento, teremos que recorrer à banca, naturalmente. O facto de a banca estar disponível para financiar o projeto inicial em 15,5 milhões de euros, significa que as nossas contas municipais são imaculadas e que a nossa gestão do município não oferece dúvidas. Já o porta-voz nº 1 do PSD de Vila Real não poderá dizer o mesmo. Pode continuar a espalhar lama, mentiras, acusações falsas, mas o resultado será sempre o mesmo: o Município de Vila Real vai construir as novas piscinas municipais, colmatando uma falta importante. E isso é que custa, custa mesmo muito, àqueles que achavam que tinham o direito divino de governar o município eternamente e não conseguem compreender que, connosco, por decisão democrática dos Vila-realenses, Vila Real Avançou!

Mais Lidas

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.