Domingo, 24 de Outubro de 2021

Operação “Viajar sem pressa”

A Guarda Nacional Republicana (GNR), entre os dias 10 a 16 de março, intensifica a fiscalização rodoviária, designadamente o controlo da velocidade.

-PUB-

O excesso de velocidade continua a constituir uma das principais causas da sinistralidade rodoviária grave, seja pela diminuição do tempo de reação do condutor para fazer face a um imprevisto, ou pelo agravamento das suas consequências, em resultado da maior violência do embate. Importa salientar que quando a velocidade duplica, a distância de travagem quadruplica, e em caso de acidente, a probabilidade de resultarem vítimas mortais ou feridos graves aumenta 8 a 16 vezes.

Dos sinistros rodoviários registados, cerca de 72% ocorreram por colisão, 23% por despiste e 5% por atropelamento. Embora a sinistralidade tenha ocorrido em maior número dentro das localidades (em sensivelmente 52% dos acidentes), foi fora das localidades que se registaram os acidentes de maior gravidade.

Nesse sentido, as ações de fiscalização serão direcionadas para as vias onde o índice de sinistralidade é mais elevado, com o empenhamento de militares dos Comandos Territoriais e da Unidade Nacional de Trânsito.

Esta operação decorre paralelamente com a campanha da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária “Abranda o ritmo. Respeita os limites de velocidade”, integrada no Plano Nacional de Fiscalização, que tem como objetivo alertar os condutores para o risco de condução em excesso de velocidade.

O objetivo desta operação é promover comportamentos mais seguros por parte dos condutores e diminuir a sinistralidade rodoviária grave, bem como aumentar o sentimento de segurança dos utentes da via.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.