Quarta-feira, 20 de Outubro de 2021

Orçamento reduzido mas o mesmo brilho natalício no centro da cidade

Graças a um ‘desconto’ por parte da empresa que montou a iluminação de Natal, o centro histórico de Vila Real tem este ano o mesmo encanto que em 2009 com um preço inferior de cerca de cinco mil euros. A animação nas ruas vai completar o ‘cartão de visitas’ para todos os que queiram comprar as suas prendas no comércio tradicional.

-PUB-

Apesar da Câmara Municipal ter disponibilizando apenas 15 mil euros para a iluminação de Natal do centro histórico, menos cinco mil que no ano passado, foi possível garantir a mesma quantidade e qualidade, revelou José Ricardo, presidente da Associação Comercial de Vila Real (ACIVR), no dia 3, mais exactamente no momento em que se ligou o interruptor dos milhares de pontos de luz.

Segundo o dirigente associativo, o feito de conseguir o mesmo com menos dinheiro deveu-se à sensibilidade demonstrada pela empresa que monta a iluminação de Natal para o momento de crise vivido a nível nacional. “Fizemos uma parceria com a Iluminações Rodrigues, empresa que nos faz todos os anos a iluminação”, explicou José Ricardo, referindo que, compreendendo se tratar de “um ano excepcional de crise”, o empresário se predispôs a fazer “um acrescento à iluminação” prevista no orçamento de 15 mil euros disponibilizado pela autarquia.

De recordar que já no ano passado a “crise” levou a uma redução do subsídio municipal destinado à iluminação do centro da cidade, que sofreu então o corte de mais de 50 por cento, contando assim apenas com 20 mil euros.

As primeira informações veiculadas pelo presidente da Câmara Municipal de Vila Real, Manuel Martins, garantiam que a iluminação estaria na lista de medidas de poupança da autarquia, no entanto, depois de uma reunião com a ACIVR, foi encontrada uma “folga” nos cofres do Município.

“Mesmo tendo pensado o contrário, não conseguimos dizer que não a um objectivo colectivo”, explicou Domingos Madeira Pinto, vice-presidente da Câmara Municipal de Vila Real, sublinhando que “o período de Natal é muito importante para a dinamização económica, mas também para a própria alegria das pessoas, sobretudo das crianças”.

O edil deixou ainda uma mensagem aos empresários do comércio tradicional ao lembrar que “é nos momentos difíceis que podemos, sem sobra de dúvida, dar um sinal quantitativo e qualitativo diferente” na economia local.

Para além das tão desejadas luzes de Natal, o ‘coração’ de Vila Real vai ainda ser palco de um conjunto de actividades de animação de rua que têm como objectivo chamar os clientes para o comércio tradicional e que terá início, no dia 17, com a chegada, em limusina, dos pais natal. José Ricardo referiu ainda que essa acção será enriquecida com a actuação de alunos do curso de Teatro e Artes Performativas da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro.

Entre os dias 17 e 19 irá realizar-se ainda, no ponto nevrálgico do comércio tradicional, uma “feira à antiga”, a fazer lembrar um mercado medieval.

Para além da música permanente, através de uma parceria com a Rádio Voz do Marão, serão transmitidos vários ‘directos’ a partir da rua Direita, momentos radiofónicos que, além de divulgar as actividades em curso, vão apresentar aos ouvintes várias promoções nas lojas do comércio tradicional.

Finalmente, José Ricardo referiu ainda que, à semelhança do ano passado, as ruas estarão enfeitas com tapetes vermelhos e pinheiros de Natal localizados em frente a cada uma das lojas. “Este ano tivemos uma adesão ainda maior por parte dos comerciantes”, garantiu o dirigente associativo, acreditando que a época natalícia será “uma grande festa” e uma oportunidade de “ajudar o comércio que, neste período de crise, bem precisa”.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.