Domingo, 9 de Maio de 2021

Pais “indignados” pelo valor elevado das mensalidades nas creches

Encarregados de educação queixam-se de descontos “insignificantes” quando muitos perderam grande parte do seu rendimento. A Santa Casa da Misericórdia esclarece que optou por fazer um desconto de 30 por cento, o que acaba por “salvaguardar os interesses de todos”. Já o Colégio Moderno de São José não se quis pronunciar.

Com escolas, infantários e creches encerradas devido ao novo coronavírus, alguns pais queixam-se que têm que continuar a pagar as mensalidades nas creches, quando os filhos estão em casa.

Na Santa Casa da Misericórdia de Vila Real, uma das pessoas afetadas revelou à VTM que não acha “justo estar a pagar” por um serviço que não está a ser prestado. “Como o meu filho não está na creche e como não faz lá nenhuma das refeições, não deveria ter de pagar a mensalidade”, refere este pai, que prefere manter o anonimato, adiantando que, entretanto, a Santa Casa informou os pais da redução de “30% nas mensalidades” até a situação normalizar. 

Este encarregado de educação refere ainda que durante o mês de março pagou a mensalidade na totalidade, quando o filho só esteve na creche meio mês. “Nem me importo de ter pago o valor total, agora só não acho justo pagar, a partir deste mês de abril, 70 por cento das mensalidades seguintes quando as crianças estão em casa e não se sabe o dia em que voltarão a abrir as creches”.

Vítor Santos, vice-provedor da Santa Casa da Misericórdia de Vila Real, explicou à VTM que os pais “foram informados da decisão da instituição”, que, numa situação excecional como esta, optou por fazer um desconto a todos os utentes da creche, ressalvando que o objetivo é “salvaguardar os interesses de todos”, desde as famílias das crianças até aos funcionários da Misericórdia.  

A Santa Casa esclarece ainda que nas valências onde foi possível, como no pré-escolar, as educadoras continuaram a realizar o seu trabalho à distância das crianças, no entanto reconhece que na creche não foi possível continuar com o serviço, por isso optaram por um desconto de 30 por cento nas mensalidades para as famílias. “No regulamento da instituição estava previsto uma redução de 10 por cento, mas como somos uma instituição de cariz social, fomos mais longe e atribuímos um desconto de 30 por cento”, esclareceu o vice-provedor, acrescentando que estão, obviamente, “preocupados” com as famílias.

COLÉGIO DE SÃO JOSÉ

No Colégio Moderno de São José, em Vila Real, a redução para as famílias que têm filhos na creche é de 25 por cento, um valor que deixou os pais “indignados”, uma vez que a instituição “não tem despesas com as crianças e manterá os apoios do Ministério do Trabalho e da Segurança Social, pelo menos durante os próximos três meses”. 

 

 

 

 

 

 

Uma das mães disse à VTM que “é indigno e até imoral” estar a fazer um desconto tão pequeno, quando muitas famílias perderam uma parte significativa do seu rendimento, outras perderam a totalidade, e têm que estar em casa com os filhos, suportando todas as despesas.   

A VTM sabe que um grupo de pais enviou uma carta à instituição, onde expressam a sua indignação com o colégio, que, segundo dizem, “terá uma redução de custos na ordem, pelo menos, dos 50% a 60%, e pretendem continuar a cobrar 75% do valor das mensalidades. “Até parece que o colégio quer tirar lucro de uma situação como esta”, lamentam os pais, adiantando que esperam que haja “bom-senso” e que pelo menos seja feito um desconto mínimo de 50%.

A mensalidade deste mês terá de ser paga até ao dia de hoje, quinta-feira. 

A VTM contactou o Colégio, que informou que para já não se vai pronunciar.

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.