Domingo, 14 de Agosto de 2022

Parte do concelho de Miranda do Douro sem água devido ao rebentamento de três condutas

Cinco aldeias do concelho de Miranda do Douro e parte da cidade estão sem abastecimento de águas há mais de 24 horas devido ao rebentamento de três condutas principais de abastecimento, disse hoje à Lusa fonte da autarquia.

-PUB-

“Trata-se de um problema sério no abastecimento de água a Malhadas, Duas Igrejas, Águas-Vivas, Póvoa, Genísio, Zona Industrial de Miranda e no bairro de Santa Luzia devido ao rebentamento de três condutas principais que abastecem aquela parte do concelho a partir da Estação de Tratamento de Água (ETA)”, explicou o vice-presidente da câmara de Miranda do Douro, Nuno Rodrigues.

De acordo com o autarca, “a situação deve-se à antiguidade das condutas e consequente falta de peças para repararão da situação, o que causa muitos atrasos na reparação da avaria”.

O autarca admite os constrangimentos e que a situação está a ser minimizada com recurso a autotanques dos bombeiros.

Nuno Rodrigues adianta, ainda, que “tudo está a ser feito para repor a normalidade no abastecimento de água a esta zona do concelho “o mais rapidamente possível”.

“Com o aumento da população, no mês de agosto, poderá haver dificuldades no abastecimento, mas esperamos ter o problema solucionado até ao fim do dia. Porém, sem garantias, até porque poderá haver rebentamentos em outros pontos das condutas, devido à pressão causada na rede”, vincou.

O município de Miranda do Douro realçou que não há falta de água no concelho devido à seca e reconhece com “humildade” a situação que está a ser gerada por esta “grave avaria” nas condutas de abastecimento de água.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.