Quarta-feira, 26 de Janeiro de 2022
© DR

Passagem de ano com balanço positivo na região

De acordo com os comandos distritais da Polícia de Segurança Pública (PSP) e os comandos territoriais da Guarda Nacional Republicana (GNR) de Vila Real e de Bragança, o balanço da noite é positivo. Já em Viseu, a receção ao novo ano ficou marcada pela detenção de seis pessoas em todo o distrito

-PUB-

Nos distritos de Vila Real e Bragança, as boas-vindas a 2022 decorreram com normalidade, sem registo de grandes ajuntamentos na via pública, detenções ou ocorrências de relevo, avançam os comandos da PSP e GNR. Já no distrito de Viseu, destaque para desacatos pontuais em Lamego e para a detenção de seis pessoas por excesso de álcool ao volante.

Vila Real

De acordo com o tenente-coronel Eduardo Lima, da GNR de Vila Real, “a passagem de ano no distrito não trouxe, nem a nível de criminalidade, nem a nível de sinistralidade, nenhuma situação preocupante. Já há alguns anos que esta é (uma noite) bastante pacífica”.

Segundo o próprio, “das nove horas do dia 31 de dezembro às nove horas da manhã de hoje, apenas registámos seis acidentes, dos quais resultaram dois feridos ligeiros”. Além disto, “tivemos algumas denúncias relativas a ajuntamentos (na via pública) que, à chegada da GNR aos locais, não se verificaram. Não há, portanto, nenhuma situação de maior a reportar”.

Quanto à fiscalização rodoviária, “não houve registo de qualquer crime relativo à condução sob o efeito de álcool. Nas várias operações realizadas, tivemos, sim, contraordenações associadas ao consumo de bebidas alcoólicas, mas crimes não, o que foi uma agradável surpresa”, frisou o Oficial de Comunicação e Relações Públicas.

Na cidade de Chaves, além da noite ter ficado marcada pelo espetáculo pirotécnico que atraiu alguns curiosos, em grupos contidos, às ruas flavienses e à Ponte Trajano, de acordo com a PSP, “não houve registo de qualquer incidente”.

Bragança

De acordo com a GNR de Bragança, a madrugada foi calma e não houve “registo de ocorrências ditas relevantes”. Segundo a PSP, apesar das habituais “reclamações de ruído, comuns em qualquer data festiva, denotámos que foram poucas as pessoas que saíram à rua nesta passagem de ano. Foi uma noite super calma, sem ocorrências de maior”.

De acordo com o chefe Morais, num balanço da noite em Mirandela e em Bragança, “seria ótimo que no resto do país o cenário tivesse sido idêntico, pacífico, sem distúrbios”, destacando a calma e a ordem que marcaram a passagem de ano em ambas as cidades.

Viseu

De acordo com fonte da GNR de Viseu, os excessos da noite de festa, nomeadamente no que toca ao consumo de bebidas alcoólicas, resultaram na detenção “de seis cidadãos, em todo o distrito, por condução sob o efeito de álcool”.

Já na área de atuação da PSP, segundo o Comando Distrital, o balanço da noite é positivo. “Foi uma passagem de ano calma, sem ocorrências graves. Houve, apenas, uma situação pontual, uns desacatos em Lamego, mas nada de especial”, garantiu o chefe Almeida.

Sinistralidade Rodoviária 

De acordo com os dados da Guarda Nacional Republicana relativos à sinistralidade rodoviária, nas últimas 24 horas de 2021 registaram-se 177 acidentes em todo o território nacional, dos quais cinco ocorreram no distrito de Vila Real, um em Bragança e seis em Viseu. Destes resultaram, apenas, quatro feridos leves, não havendo mortes a lamentar em toda a região de Trás-os-Montes e Alto Douro.

Segundo avançou a Major Mafalda Almeida, “estes são números provisórios, ainda por consolidar”, não havendo, por agora, “dados relativos à primeira madrugada do ano”. O balanço geral será feito, ao que tudo indica, “na próxima segunda-feira”.

Recorde-se que, até amanhã, dia 2 de janeiro de 2022, decorre a terceira e última fase da Operação “Natal e Ano Novo 2021”. Neste âmbito, a GNR “irá manter-se particularmente atenta aos comportamentos de risco dos condutores, nomeadamente o excesso de velocidade, as manobras perigosas, a correta sinalização e execução de manobras de ultrapassagem, de mudança de direção e de cedência de passagem, a utilização indevida do telemóvel”, entre outras.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.