Domingo, 1 de Agosto de 2021

PCP em protesto contra aumento “brutal” da fatura da água

Em frente ao Auditório Municipal, em Peso da Régua, o PCP realizou uma ação de protesto contra o “aumento brutal” nas faturas da água, que em muitos casos sofreram aumentos que chegam aos “400 por cento”.

-PUB-

Filipe Costa, dirigente do PCP, explicou à VTM que a ação foi marcada para o dia da assembleia municipal para alertar os deputados municipais, sobretudo os do PSD e do PS, que “estiveram na formalização deste processo”. “O executivo deveria adotar outra postura e não ceder à chantagem do Governo e da União Europeia”, sublinha, adiantando que, tendo em conta a discussão do novo quadro comunitário de apoio, “há espaço mais do que suficiente para o executivo envolver a população, que lhe dá mais força para retroceder no processo em curso, que visa a privatização da água”. 

Em causa está a criação da empresa Águas Interior Norte (AIN) que é agora a responsável pelo abastecimento da água em baixa.

Os comunistas afirmam que os problemas estão à vista, com o “descontentamento da população com este brutal aumento da fatura da água”, nomeadamente nas taxas da água, do saneamento e dos resíduos”, exemplificando que em Peso da Régua “há situações que os aumentos ultrapassam os 400 por cento em relação ao que se pagava antes”. 

O PCP sustenta que este modelo “não defende as populações”, para isso, diz, que “basta ver a diferença entre a água faturada em dezembro e a faturada em janeiro”. “Esta situação vai-se generalizando não só em Peso da Régua, que é onde o impacto é mais sentido, mas também em Murça, Torre de Moncorvo, Sabrosa”.

“Não estamos contra os municípios encontrarem soluções conjuntas, estamos contra ser uma entidade intermunicipal que retira autonomia aos municípios, que não podem definir sozinhos as

Artigo exclusivo PREMIUM

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é PREMIUM,
Aceda à sua conta em

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.