Quarta-feira, 6 de Julho de 2022

Peso da Régua quer ser Cidade Europeia do Vinho 2018

Autarquia submeteu candidatura no valor de 1 milhão e 250 mil euros.

A Câmara Municipal do Peso da Régua submeteu uma candidatura à “Cidade Europeia do Vinho” 2018. Promovido pela Rede Europeia de Cidades do Vinho, o projeto tem como objetivo o reconhecimento das cidades vitivinícolas ativas na promoção e divulgação da cultura do vinho a nível europeu. O galardão atribuído à cidade vencedora do concurso ‘Cidade Europeia do Vinho’ simboliza e representa o desenvolvimento vitivinícola, a consolidação do território e a cultura vitivinícola a nível europeu.

A candidatura, que tem um valor de cerca de 1 milhão e 250 mil euros, contempla atividades que vão desde a música ao teatro, passando por conferências, formações, estágios e desporto, sempre enquadradas no contexto do vinho, da vinha e da região. 

A instruir a candidatura seguiram cartas de apoio e declarações de compromisso de cerca de 65 entidades de relevância local, regional, nacional e internacional, como: Turismo do Porto e Norte de Portugal, Instituto dos Vinhos do Douro e Porto, Direção Regional da Cultura do Norte,
Associação de Municípios Portugueses do Vinho, Museu do Douro, CIM Douro, Associação Comercial e Industrial dos concelhos de Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião e Mesão Frio, Direção Regional da Agricultura e Pescas do Norte, Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, Faculdade de Letras da Universidade do Porto, Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Lamego,  um conjunto significativo de operadores turísticos fluviais, associações, instituições e empresários locais e regionais.

No próximo dia 30, Peso da Régua fará a apresentação da candidatura ao júri que a irá analisar e decidir sobre a atribuição do galardão Cidade Europeia do Vinho 2018. Esta apresentação terá lugar no Parlamento Europeu, em Bruxelas.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.