Sábado, 16 de Outubro de 2021

Placas motivam polémica

A colocação de nova sinalética na ponte da foz do Pinhão está a gerar alguma controvérsia. Alguns habitantes alegam que a nova sinalética está errada e confunde quem circula naquele local.

-PUB-

Manuel Sequeira é um dos queixosos. “Quando andaram a colocar as placas já os tinha chamado à atenção para o facto de não ser o Lugar do Pinhão, mas sim a Rua da Atafona. A informação está errada e deve ser corrigida. Por outro lado, não entendo como se diz que o Lugar do Pinhão acaba, quando as pessoas ainda nem sequer entraram na vila! Há turistas que ficam admirados com esta situação”.

Uma versão diferente tem o presidente da Junta de Freguesia do Pinhão, Pedro Perry. “A sinalética que está foi colocada pela Câmara Municipal de Sabrosa. Como se sabe, o rio Pinhão divide os concelhos de Sabrosa e Alijó, ora o lugar do Pinhão em causa fica na margem oposta à vila e pertence à freguesia de Gouvães do Douro, por isso as indicações estão bem. Contudo, reconheço que é um excesso de zelo. Dada a profusão de placas já existentes no local, não era necessária a implantação de mais. Ou seja, em vez de se reduzir, ainda se aumentou o número de placas”.

O presidente da Junta de Freguesia de Gouvães do Douro, António Pinheiro, também se mostrou descontente com esta situação. “De facto já tem existido alguma polémica sobre as placas. Já contactei a Câmara, que me disse que iria resolver o problema com a colocação de um painel, onde seriam colocadas todas as placas de informação”.

A questão da ordenação da sinalética turística da região é uma das preocupações das autarquias e organismos de turismo. Em alguns locais são patentes exemplos de mau gosto, daí a necessidade de um ordenamento da mesma sinalética.

 

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.