Sábado, 16 de Outubro de 2021

Polícias ofereceram consoada a família pobre

Na noite fria da consoada, João Dias teve à sua mesa uma consoada oferecida por dois agentes da Esquadra da PSP de Vila Real. Uma oferta que vai já sendo um hábito por parte destes elementos, que não se resume apenas à quadra natalícia.

-PUB-

Ao longo do ano, João Dias, 48 anos, e a família, que vive numa barraca de lata na zona do Bairro da Telheira, recebem alimentos, vestuário e calçado. Iguarias de Natal, batatas e bens de primeira necessidade, fizeram parte do “cabaz” entregue pelos polícias. “São os meus irmãos”, comentou João Dias, que “não tinha palavras para agradecer” este acto solidário, sublinhando novamente que os “polícias são a sua família”.

Esta atitude solidária de alguns polícias da Esquadra de Vila Real vai atenuando a miséria em que vive esta família. Natural de Muxagata, João Dias e esposa, de 38 anos, têm três filhos, de 16, 13 e 11 anos. “É umas situações que não podemos ficar alheios. São pessoas educadas e nós, quando podemos, gostamos de ajudar para tentar minorar as suas dificuldades”, contou um dos agentes.

Esta família precisa de uma casa com as condições mínimas de habitabilidade. O espaço onde vivem é uma barraca em lata, sem água, sem luz e sem casa de banho, na freguesia de Parada de Cunhos. “Tomamos banho numa bacia, e fazemos as necessidades ao ar livre, por detrás de umas pedras”, disse João Dias.

De referir ainda que, esta mãe tem dois filhos numa família de acolhimento devido à precariedade habitacional.

Há dois anos, a Câmara de Vila Real já foi confrontada com esta situação mas, apesar dos esforços realizados, até agora ainda não arranjou uma solução social.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.