Terça-feira, 15 de Junho de 2021

Portugal prepara-se para receber sétima visita de um Papa

A Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) reagiu com “grande alegria” ao anúncio de que a próxima Jornada Mundial da Juventude (JMJ) vai decorrer em 2022, na cidade de Lisboa.

-PUB-

O porta-voz do episcopado, padre Manuel Barbosa, destaca em comunicado que este é um acontecimento “em que a Igreja em Portugal, e de modo particular o Patriarcado de Lisboa, conta com o apoio da Presidência da República e a colaboração das entidades governamentais e autárquicas”.

“A JMJ vai envolver todas as Dioceses do país ao longo dos próximos três anos e meio na sua preparação, constando de encontros de oração, celebração e reflexão, e de inúmeros acontecimentos a nível religioso e cultural. Culminará, nos últimos dias, com a presença em Lisboa de centenas de milhares de jovens vindos de todo o mundo, em celebrações presididas pelo Santo Padre”, assinala o secretário da CEP.

Do Panamá, o bispo de Bragança-Miranda reagiu ao anúncio com uma mensagem enviada à Agência Ecclesia pelo secretariado diocesano das Comunicações Sociais: “Com o Papa Francisco queremos ser servidores da alegria dos jovens que são o agora da Igreja e do mundo. Eis-me aqui! Faça-se segundo o Evangelho”.

O Vaticano anunciou, no domingo, que a edição internacional da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), em 2022, vai ser acolhida por Portugal, na cidade de Lisboa.

“A próxima Jornada Mundial da Juventude vai decorrer em Portugal”, disse o cardeal Kevin Farrell, prefeito do Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida (Santa Sé).

A decisão foi recebida com uma salva de palmas pelas centenas de milhares de participantes na Missa conclusiva da JMJ 2019, que se iniciou no dia 22, na Cidade do Panamá.

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.