Terça-feira, 15 de Junho de 2021
©Arquivo

Psicóloga Maria Vale é a candidata do Chega

A psicóloga Maria Vale, de 52 anos, é a aposta do Chega para o concelho de Lamego nas eleições autárquicas, uma candidata que promete "uma perspetiva diferente" na forma de fazer política.

-PUB-

“Não estou aqui para dizer se está bem ou se está mal, mas para dar uma perspetiva diferente às coisas”, disse a candidata, escusando-se a falar das prioridades que tem para este concelho do norte do distrito de Viseu, por estar ainda a ser reunida a informação necessária.

Maria Vale disse ser uma pessoa que “discretamente sempre se interessou pelas atividades políticas”, mas a política nunca foi um objetivo pessoal.

“Este chamamento de responsabilidade política não tinha encontrado uma identificação política capaz suficientemente motivadora e na qual eu me revisse”, afirmou a psicóloga, que foi da JSD e fez parte, “de uma forma muito discreta, do PSD Lamego”.

No seu entender, o Chega “pode devolver às pessoas aquilo que lhes foi retirado ao longo dos anos e dos sucessivos governos”.

“É hora de voltar a valorizar o melhor que cada região, vila e aldeia tem para oferecer. É hora de devolver a identidade tão única de cada lugar, das pessoas, costumes, culturas e tradições tão próprias dos que lá vivem”, frisou.

A candidata disse, no entanto, não ter “ilusões de qualquer espécie, nem expectativas demasiado otimistas” relativamente às próximas autárquicas.

“Mas, da mesma forma que alguém acreditou na minha pessoa sem qualquer percurso político ou cargo social de relevância, procurarei honrar esse voto de confiança”, acrescentou.

Na corrida à liderança da Câmara de Lamego estão também o atual presidente, Ângelo Moura (PS), o ex-presidente Francisco Lopes (PSD) e José Pessoa (CDU).

Em 2017, o PS conquistou a Câmara com 37,93% dos votos (três mandatos). O PSD conseguiu 26,99% (dois mandatos) e o CDS/PPM obteve 29,97% (dois mandatos).

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.