Quarta-feira, 6 de Julho de 2022

“Queremos ajudar o aluno a construir o seu projeto de vida”

A pandemia trouxe grandes desafios a todas as escolas e à Secundária São Pedro também. Depois de terem garantido computadores e acesso à internet para todos os alunos para o ensino online, agora é preciso recuperar aprendizagens e a área mais emotiva e social dos alunos.

Para isso, a escola “está a aplicar Plano 21|23 Escola+, que trabalha várias áreas, como a saúde mental, mas também tem diversas medidas para ajudar os alunos a recuperarem as matérias.

Rita Mendes, diretora da Escola de S. Pedro, refere que o plano prevê “mais técnicos, mais horas no crédito horário”, em que se pode “optar por coadjuvações, colocar mais do que um professor na sala de aula, em que um fica com a turma, outro está com quatro alunos que tenham mais dificuldades, numa sala à parte”.

Na matemática, a escola está a fazer uma “intervenção de fundo”, com a criação da Oficina de Matemática. “É uma sala aberta, onde está sempre um professor para ajudar o aluno nas suas dúvidas ou nos trabalhos de casa. Temos ainda as mesas digitalizadoras, quadros e jogos didáticos”, revela a diretora, adiantando que “não é possível abranger todas as atividades, por falta de recursos humanos, mas temos de nos focar no essencial”.

A cultura da arte é outra área de intervenção. “Também faz parte do Plano 21|23 Escola+, do Ministério da Educação, em que o aluno precisa de se virar para as artes e cultura. Tínhamos esta lacuna, porque éramos mais vocacionados para a economia e ciências. Agora, temos a Oficina das Artes, em que vamos ter parcerias com grupos de teatro, com a Tuna da UTAD e outras entidades, em que os alunos se têm envolvido de forma muito positiva”.

A internacionalização da escola é outra área que está a ser desenvolvida. “Tínhamos poucos projetos internacionais, mas hoje o aluno é um cidadão do mundo. Agora, temos vários projetos Erasmus com intercâmbios entre professores, funcionários e alunos. Não fazia sentido que os jovens, que estamos a formar, não partilhassem outras realidades”, sublinha Rita Mendes, acrescentando que outra aposta passa pela tecnologia e pelo digital. “A pandemia veio ajudar a perceber a importância das novas tecnologias, num processo que foi bem aceite por todos, em que ninguém ficou para trás”.

Com 1024 alunos, 125 professores e 34 funcionários não docentes, esta escola quer “dar todas as ferramentas para ajudar o aluno a construir o seu projeto de vida”.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.