Segunda-feira, 6 de Dezembro de 2021

Sacrário da capela de Caldas do Moledo recuperado

O sacrário da Capela do Palacete das Caldas do Moledo foi intervencionado pelo Museu do Douro, no âmbito do projeto “Identificar para conservar”, o qual tem como objetivo restaurar peças e objetos com valor patrimonial e sentimental e devolvê-las à Região Demarcada do Douro e, neste caso particular, ao concelho de Peso da Régua

-PUB-

O sacrário foi devolvido recentemente à capela na presença de José Manuel Gonçalves, presidente da Câmara do Peso da Régua, Fernando Pinto e Fernando Seara, em representação da Fundação Museu do Douro e José Campos, em representação da Junta de Freguesia de Fontelas.

A recolocação do sacrário foi coordenada pela equipa responsável pelo restaurado, a quem se agradece o magnífico trabalho concretizado.

O património de Peso da Régua, em particular, e do Douro, num sentido mais abrangente, é a génese da existência coletiva desta Região, garante de identidade e um vetor de desenvolvimento. 

Nunca como hoje, a necessidade da memória se tornou tão fundamental para a caracterização e consolidação da identidade de um povo, de um território, pois são estas referências e valores que imprimem coesão e carácter à comunidade. 

José Manuel Gonçalves considera o trabalho desenvolvido pelo Museu do Douro fundamental para a recuperação, salvaguarda, estudo, valorização e divulgação de bens culturais móveis de significativo valor patrimonial, de que é exemplo o Sacrário da Capela do Palacete de Caldas do Moledo. Na opinião do Autarca, o apoio a esse trabalho deve ser, cada vez mais, entendido como um investimento de rentabilidade assegurada. 

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.