Sábado, 16 de Outubro de 2021
@DR

SAE fiscaliza farmácias para averiguar especulação

A ASAE está hoje a efetuar uma ação de fiscalização em farmácias para averiguar denúncias sobre aumento de preços em produtos de prevenção contra a propagação do novo coronavírus e apurar se existe o crime de especulação.

-PUB-

Fonte oficial da Autoridade Nacional de Segurança Económica e Alimentar (ASAE) confirmou à agência Lusa a ação de fiscalização, que decorre sobretudo na área de Lisboa e Vale do Tejo, mas que pode estender-se a outras zonas, para averiguar eventuais casos de especulação relativamente aos preços de venda de gel desinfetante, máscaras ou luvas.

Na última semana foram várias as denúncias partilhadas em redes sociais e divulgadas em órgãos de comunicação social sobre o disparar dos preços destes produtos, havendo em muitas farmácias anúncios colocados nas montras e nas portas a informar que estão esgotados.

A ASAE faz parte do grupo de trabalho criado pelo governo para análise e fiscalização dos preços no mercado de revenda, farmácias e setor agro-alimentar face à pandemia de Covid-19, a doença provocada pelo novo coronavírus.

A ASAE remeteu para mais tarde dados sobre a operação.

O novo coronavírus já infetou mais de 220 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 9.000 morreram. Das pessoas infetadas, mais de 85.500 recuperaram da doença.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se já por 176 países e territórios, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) elevou hoje o número de casos confirmados de infeção para 785, mais 143 do que na quarta-feira. O número de mortos no país subiu para três.

Das pessoas infetadas em Portugal, três recuperaram.

Portugal encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de hoje.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.