Segunda-feira, 4 de Julho de 2022

São Cibrão em festa

Disputou-se, no dia 2, o II Torneio de Ténis de Mesa de São Cibrão, nas classes de Iniciados Masculinos e Femininos. Contando com a presença de 40 atletas, representando sete clubes do norte do país, esta competição reuniu alguns dos melhores atletas nacionais. Na prova masculina, o vencedor foi Paulo Silva (Novelense – Penafiel) que […]

Disputou-se, no dia 2, o II Torneio de Ténis de Mesa de São Cibrão, nas classes de Iniciados Masculinos e Femininos. Contando com a presença de 40 atletas, representando sete clubes do norte do país, esta competição reuniu alguns dos melhores atletas nacionais.

Na prova masculina, o vencedor foi Paulo Silva (Novelense – Penafiel) que derrotou, na final, o seu colega de equipa, Eduardo Moura. Os iniciados do GD São Cibrão, a jogar em casa, conseguiram subir ao pódio, tendo alcançado o 3.º lugar, por equipas. No mesmo escalão, a equipa vencedora foi o Núcleo de Valongo.

Individualmente, a classificação dos atletas do GD São Cibrão foi, também, bastante positiva. Assim, de destacar que a melhor classificação foi conseguida por Roberto Fernandes que se classificou no 11.º lugar. Quase todos os elementos da equipa (4 em 5) lograram chegar ao grupo dos 16 melhores (o chamado Mapa Final), tendo alcançado as seguintes classificações: Bruno Castro (14.º lugar), Luís Pinto (15.º lugar) e Bruno Correia (16.º lugar).

Mas seria a prova feminina a que mais iria entusiasmar os presentes. Assim, as gémeas Rita e Joana Fins, do CTM Mirandela, respectivamente Campeã e Vice-Campeã nacionais, disputaram uma espectacular final, tendo a primeira vencido, por 3-2 (13-11, na última partida!). No mesmo escalão, a equipa vencedora foi o Ginásio de Valbom.

 

Pedro Honrado

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.