Sexta-feira, 30 de Julho de 2021
Levi Leandro
Engenheiro. Colunista n'A Voz de Trás-os-Montes

SCVR, o Passivo será superior a 400 000€…?

Transparência, legalidade e rigor, fugiram a sete pés quando estes “corpos sociais liderados” por Francisco Carvalho (FC) ocuparam o Campo do Calvário.  Em 2019, na assembleia geral (AG) para apreciação das contas de 2018, violaram de forma grosseira os estatutos, alínea g) do artigo 22, ao não entregarem aos sócios documentos financeiros, que estatutariamente teriam […]

-PUB-

Transparência, legalidade e rigor, fugiram a sete pés quando estes “corpos sociais liderados” por Francisco Carvalho (FC) ocuparam o Campo do Calvário. 

Em 2019, na assembleia geral (AG) para apreciação das contas de 2018, violaram de forma grosseira os estatutos, alínea g) do artigo 22, ao não entregarem aos sócios documentos financeiros, que estatutariamente teriam que fornecer. O vice-presidente (VP) da área financeira, por ignorância ou má fé, não respondeu a cerca de meia dúzia de questões sobre pagamentos alegadamente efetuados, não apresentando documentos que comprovassem os mesmos, pois não existem, dando azo a interpretações perniciosas…. escondendo dos sócios que o SCVR terá alegadamente uma dívida de 23697,67€ com FC referente ao ano de 2018.

No dia 15 do corrente mês, ocorreu a AG para apreciação e votação das contas do ano 2019, os documentos financeiros ao abrigo dos estatutos solicitados pelos sócios, foram novamente recusados de forma ilegal, indiciando que querem esconder algo, dívidas, receitas, compras etc., para manobrarem os resultados.

O VP apresentou de forma entediada o relatório, também de modo recorrente na má educação, voltou a não responder a questões colocadas por alguns sócios.

“Os Honestos”

Vejamos, um sócio questionou de forma clara: quanto custou o autocarro ao SCVR? O VP recusou-se a dar resposta, como se pode interpretar esta ignóbil atitude…? Sabemos que, quem vendeu o popó ao clube foi FC, e também se sabe que o valor é inferior a 12000€, longe dos 15000€ de “subsídio” e mais distante dos 26000€ a entregar no documento de despesa à Camara Municipal, o chico espertismo na sua melhor versão.

“Os Habilidosos”

Um sócio intentou uma ação judicial contra o SCVR, solicitando 32 377,36€, este valor estava há vários anos no passivo do clube. O Tribunal entendeu que o valor legal a restituir era de 1935,60€, não considerando válidos 30 441,76€, de forma correta e de acordo com a sentença judicial de 2019, o clube retirou do passivo o referido valor. Entretanto adicionou os 30 441,76€ a “outros ganhos”, quando não entrou nenhum cêntimo nos cofres do clube, conseguindo assim transformar resultados negativos do exercício do ano 2019 de cerca da 10000€, em resultados positivos de 20 891,44€.

“Os Rigorosos”

O mesmo sócio abordou as dívidas ao “Estado e outros entes públicos”, pois não entraram com a faturação do quarto trimestre, nem com o valor de dezembro da Segurança Social que iria alterar para valores superiores ao que apresentaram nas contas, agravando o passivo. Questionado sobre este ponto e para não variar, o VP ficou mudo.

“As Conclusões”

Não fizeram prova contabilística de várias situações, nomeadamente dos 84 318,55€, alegadamente emprestados por FC ao clube. Não estão na “Conta 25” de empréstimos pois não existe, também não pode estar em mais nenhuma, porque a quantia não “cabe”, nem tecnicamente, nem pelo montante, e 84,3Mil mais 319,3Mil, dá 403,6Mil€… de passivo.

Mais Lidas | opinião

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.