Sábado, 17 de Abril de 2021
Barroso da Fonte
Escritor e Jornalista. Colunista n'A Voz de Trás-os-Montes

Subsídios para a história do Monumento aos Combatentes do Ultramar (IV)

No dia 18 de março de 1982 arregacei as mangas e dei largas ao desafio que na véspera ouvira numa estação de rádio ao capitão Vasco Lourenço.

Sendo natural de Montalegre e vivendo em Guimarães entendi passar a palavra aos combatentes que conhecera desta região nortenha. Na cidade Berço conhecera eu os juristas: Luís Teixeira e Melo e Luís Gama Lobo Xavier, o economista Luís Teixeira e Melo, o psicólogo Carlos Sá Ramalho, Eduardo Jorge Dias, Prof. Jorge Marques Guimarães, José Manuel Bastos, Carlos Feio Alves Carvas, Manuel Jacinto Cruz Rebocho, Raul Ferreira Pinto, Aníbal Augusto Machado, João Martins Patrício Correia, Duval de Oliveira Bettencourt Gomes José António Carvalho de Moura e Carlos Lobo. Todos milicianos.

Estes quinze combatentes deram-me plena liberdade para continuar como coordenador da Comissão Promotora que passou a funcionar em cafés e onde calhava. Por estar ligado a jornais,

Artigo exclusivo PREMIUM

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é PREMIUM,
Aceda à sua conta em

Mais Lidas | opinião

O drama do Bila

A nova face de Vila Real

Cuidado onde pisam

Miradouro – Ex-Libris da cidade

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.