Segunda-feira, 6 de Dezembro de 2021

Taxistas sofrem quebras de 90% e esperam por melhores dias

Numa semana com vários feriados e que até costumava ser “boa” para o negócio dos taxistas, este ano as festividades não se realizaram, o que não ajudou a recuperar de uma crise que se acentua de dia para dia, devido à pandemia do novo coronavírus.

-PUB-

No feriado do Corpo de Deus, a VTM encontrou vários taxistas à entrada do Terminal Rodoviário, em Vila Real, e todos se queixavam da falta de clientes e de as medidas que tiveram de adotar por indicação da Direção Geral da Saúde (DGS).

Taxista há 48 anos, Albertino Alves não tem memória de uma crise tão grande no setor. “O negócio está praticamente parado”, confessou à VTM, adiantando que durante todo o dia (até às 17h00) fez apenas um serviço de cinco euros, tal como o colega que estava na mesma praça de Táxis. “Não há nada que fazer”.

Além do pouco movimento que se vê nas ruas, que em outros anos se enchiam de gente para

Artigo exclusivo PREMIUM

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é PREMIUM,
Aceda à sua conta em

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.