Sexta-feira, 30 de Setembro de 2022

Teatro de Vila Real com 50 espetáculos até dezembro

São 50 iniciativas até dezembro, entre elas cinco estreias e o regresso do festival Douro Jazz. O teatro de Vila Real apresentou esta quinta-feira a programação para os últimos meses do ano.

-PUB-

Até ao final do ano, o teatro de Vila Real conta com 50 iniciativas, de várias áreas. É uma programação “intensa” que cruza duas dimensões, a global e local, afirmou Rui Santos.

“É uma programação dinâmica, diversificada, abrange variadíssimos públicos . É também uma programação com um custo muito reduzido e, em alguns casos, até gratuita”, salientou Rui Santos, em conferência de imprensa.

Entre a programção, destaque para o regresso do festival de música Douro Jazz, a partir de 4 de outubro, com seis concertos e que tem como cabeça de cartaz,o norte-americano Stanley Jordan, “um dos maiores guitarristas de jazz da atualidade”, adianta Rui Araújo, diretor do teatro.

Segundo o mesmo responsável, “um dos espetáculos é cantado em mirandês, há outro que é uma homenagem a Carlos Paredes, grande guitarrista português, o L.U.M.E, que tem 15 músicos em palco, ou a Orquestra Jazz do Douro, aqui de Vila Real, que faz um concerto com o trio ‘Elas e o Jazz’”.

Olhando para o teatro, entre as 10 propostas apresentadas para este trimestre, incluem-se quatro estreias: “Paris”, criado e interpretado por Ángel Fragua e Mara Correia, “Cosi Run Tutti”, do Teatro Palmilha Dentada e Interferência – Associação de Intervenção na Pratica Artística, “Pulmão”, de Duncan Macmillan e encenação de Ana Nave, e a “Teia” da Urze Teatro.

De referir que também as comemorações dos 20 anos da classificação do Alto Douro Vinhateiro como Património Mundial da UNESCO, que arrancaram no teatro de Vila Real com a ópera Mátria, vão terminar neste mesmo espaço, um ano depois, a 14 de dezembro, com a “estreia mundial” da peça sinfónica “Traços de Esplendor”, de Fernando Lapa com a Orquestra do Norte.

Dias antes, a 7 de dezembro, e no âmbito das comemorações dos 750 anos da outorga do primeiro foral a Vila Real, Teresa Salgueiro sobe ao palco do teatro para assinalar a efeméride, num evento que conta com o alto patrocínio da Presidência da República.

Nestes meses prosseguem, também, as “Conversas de Bastidores” e haverá ações de formação e workshops para a comunidade.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.