Terça-feira, 6 de Dezembro de 2022
No menu items!
0,00 EUR

Nenhum produto no carrinho.

Último troço abre a 30 de Junho

O troço da A24, entre Falperra (Vila Pouca de Aguiar) e Fortunho (Vila Real), vai abrir ao trânsito, em 30 de Junho. Esta é previsão da NORSCUT, empresa concessionária da A 24, o que antecipa, em cerca de um mês, a data anteriormente difundida. São cerca de onze quilómetros, traçados na encosta da serra da […]

PUB

O troço da A24, entre Falperra (Vila Pouca de Aguiar) e Fortunho (Vila Real), vai abrir ao trânsito, em 30 de Junho. Esta é previsão da NORSCUT, empresa concessionária da A 24, o que antecipa, em cerca de um mês, a data anteriormente difundida. São cerca de onze quilómetros, traçados na encosta da serra da Falperra e que representam o último percurso desta auto-estrada que liga Viseu à fronteira de Vila Verde da Raia, num total de 155 quilómetros. Assim, a partir daquela data, ir de Vila Real a Chaves passará a demorar, apenas, 30 minutos, o que não acontecia, até agora, pois cumpria-se mais de uma hora a percorrer a mesma distância, utilizando a EN 2.

Entretanto, a NORSCUT, na A24, entre Vila Real e Chaves, vai promover à construção de duas áreas de serviço. Uma em Fortunho (Vila Real) e outra em Vilarinho das Paranheiras (Chaves), cujos projectos de construção já foram adjudicados e que serão, agora, enviados para a Estradas de Portugal, EP, para a respectiva aprovação. A Rodareas foi a empresa contratada pela NORSCUT, para execução das estruturas das duas áreas de serviço, assim como a respectiva exploração.

O troço a abrir em Junho de 2007, entre Fortunho e Falperra, tem cinco viadutos e inclui “duas passagens inferiores, para fauna”, uma “mista hidráulica de fauna”, outra “mista agrícola inferior para fauna” e uma passagem específica superior para fauna de grande porte. Este ecoduto destina-se a evitar o atropelamento de animais selvagens, nomeadamente o lobo, o javali e o corço.

 

Jmcardoso

PUB

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.