Quinta-feira, 19 de Maio de 2022
Manuel R. Cordeiro
Professor Aposentado da UTAD. Colunista n'A Voz de Trás-os-Montes

UTAD: ensino e investigação de excelência

O ensino superior nasceu em Trás-os-Montes há 48 anos.

-PUB-

No dia 2 de março de 1974, o Ministro Veiga Simão deu posse à 1ª Comissão Instaladora do Instituto Politécnico de Vila Real, da qual fazia parte o Eng.º Cardoso Simões, bem conhecido no setor agrário. Os primeiros cursos privilegiaram as áreas ligadas à agricultura.

Em setembro de 1979 foi criado o IUTAD – Instituto Universitário de Trás-os-Montes e Alto Douro dando-se início, poucos anos depois, à criação dos Preparatórios das Licenciaturas em Engenharia Eletrotécnica, Civil, Mecânica e Minas que, por convénio com a FEUP, os alunos terminavam a Licenciatura no Porto. Mais tarde, em 1985, deu-se o primeiro passo para que estas licenciaturas fossem, na totalidade, ministradas em Vila Real, com a criação da licenciatura de Engª Eletrotécnica, à qual se seguiram as de Mecânica e Civil. A dinâmica criada pelos dirigentes da instituição, pelos docentes e investigadores e pelos funcionários fez com que fossem criados mais cursos de modo a responder à procura por parte dos candidatos ao ensino superior, que crescia todos os anos.

A credibilidade do ensino ministrado e da investigação científica e tecnológica desenvolvida, conduziu à transformação do IUTAD na UTAD – Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. O Ensino que é ministrado e a investigação que ali se faz, são de excelente qualidade. A UTAD transformou-se numa instituição de referência para os portugueses. O reconhecimento que se lhe faz traduz-se na diversidade dos candidatos ao ensino superior que para cá vêm estudar para preparar o seu futuro. A transformação que a produção de vinhos de qualidade em Portugal teve, muito se deve ao curso de Enologia que foi o primeiro a ser instalado em Portugal. Em muitas outras áreas do saber a UTAD vai à frente.

Tive o privilégio de entrar em outubro de 1981 para esta instituição que me deu todas as condições para nela ensinar e investigar cerca de 40 anos da minha vida ativa. Em troca dei o meu esforço, a minha entrega, o meu saber e a minha lealdade que, como aprendi com o meu pai, faziam parte da minha obrigação, enquanto funcionário docente. Não tenho dúvidas em afirmar que a região de Trás-os-Montes muito ganhou com a existência da UTAD. A Quinta de Prados sem dúvida que foi parte determinante para o sucesso que a UTAD tem tido e vai continuar a ter. Permitiu que crescesse e hoje podemos afirmar que o nosso Campus Universitário é amigo do ambiente, onde se respira ar puro e proporciona a quem o frequenta e/ou ali trabalha um bem-estar que outros não têm. Ouvi muitas vezes colegas de outras universidades falarem dele com admiração. A extensão do Campus permite que tenhamos cursos que desenvolvem valências que se podem complementar. A criação dos cursos de Engenharias decorreu desse facto. É sabido que as novas tecnologias são um suporte importante e decisivo na inovação em qualquer área do saber. Isso proporcionou parcerias intercursos e fez crescer a qualidade da investigação feita na UTAD, colocando-a em evidência no panorama do ensino superior em Portugal.

Pode dizer-se que, sendo a UTAD uma instituição nacional, tem sido um motor do desenvolvimento da região em que está instalada. Tem correspondido aos anseios da comunidade em geral e das instituições de governo e empresariais de Trás-os-Montes e Alto Douro.

Estou certo de que continuará a sê-lo no futuro.

Mais Lidas

Faleceu o padre Álvaro de Barros

Homem ataca a esposa e suicida-se

Incêndio no Bairro dos Ferreiros

Quatro detidos por tráfico de droga

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.