Sábado, 27 de Novembro de 2021

Vila Real – A maior Freguesia do Distrito

É este o lema daquela que é a maior freguesia urbana do distrito, com 7,09 km² de área e cerca de 16 mil eleitores.

-PUB-

Vila Real, motor de cidadania

 

A freguesia de Vila Real foi criada em 2013, fruto da reorganização administrativa, que levou à agregação das três antigas freguesias urbanas da cidade: Nossa Senhora da Conceição, São Pedro e São Dinis.

Até 2015 denominava-se União de Freguesias de Vila Real (Nossa Senhora da Conceição, São Pedro e São Dinis), designação que foi alterada, após consulta e votação públicas.

“Era uma designação enorme e pouco prática, pelo que decidimos fazer a sua alteração, com a ajuda dos nossos cidadãos, através de uma consulta e votação públicas. Foram a votos duas propostas e a designação Freguesia de Vila Real foi a que recolheu a maioria dos votos”, explica Francisco Rocha, presidente da junta.

Futuro centro de apoio associativo

Por ser uma freguesia marcadamente urbana, “tem características, necessidades e atribuições diferentes, que apelam muito à cooperação institucional e às parcerias com o tecido social e associativo da freguesia”, afirma.

Francisco Rocha está no segundo mandato como presidente. Chegou à junta no ano em que se deu a reorganização administrativa e admite que “foi muito desafiador construir esta nova identidade”, com “o mínimo de impacto possível”, e por isso, “optámos por não encerrar nenhum pólo de atendimento correspondente às antigas sedes das três ex-freguesias”.

Além da proximidade com os cidadãos, destaque para alguns projetos pioneiros desta freguesia, como o Orçamento Participativo, implementado em 2015 e que continua, anualmente, a ser concretizado. O Festival de arte urbana “Pitoresco” também “encontrou na Junta de Freguesia um parceiro institucional, assim como somos parceiros e apoiamos atividades, eventos e o funcionamento das nossas coletividades”.

Neste mandato, a obra de maior envergadura, a cargo exclusivo  da Junta de Freguesia, foi a requalificação da Rua de Almodena, com um orçamento que rondou os 60 mil euros. “Foi uma intervenção mais complexa do que aparenta, onde foi necessário corrigir algumas questões estruturais”, refere o autarca, lembrando que “é uma rua utilizada, diariamente, por centenas de pessoas, fazendo parte da rota dos transportes urbanos e que faz a ligação entre as freguesias de Mondrões, Parada de Cunhos e Vila Marim ao nosso hospital”.

Destaque, também, para a criação de um novo local de voto, no teatro de Vila Real, que beneficiou, pela proximidade, “os cerca de quatro mil eleitores que residem no outro lado da margem do rio Corgo”.

Ainda durante este mandato está em curso a recuperação de uma estrutura que existe na zona adjacente ao Polidesportivo de Almodena e a sua transformação em Centro de Apoio Associativo que rondará os 150 mil euros. Ao mesmo tempo, a Junta não desiste de encontrar um terreno disponível, na área territorial da freguesia, para dar início ao processo de construção de um parque infantil/desportivo no Bairro de Santa Maria. De igual modo, espera resolver, em articulação com a Câmara Municipal de Vila Real, a requalificação do polidesportivo de Montezelos.

Capela nova

Por se tratar de uma realidade urbana, Francisco Rocha salienta que “temos vindo a complementar a nossa ação com a câmara municipal, tendo em conta as nossas competências e atribuições” e que “há muito trabalho desenvolvido, pequenas obras e intervenções no espaço público, que nem sequer são notícia, mas que acabam por fazer toda a diferença na vida dos nossos concidadãos”, dando como exemplos os diversos apoios e serviços “que a Junta de Freguesia colocou, e coloca, à disposição dos cidadãos neste tempo de pandemia”. Francisco Rocha relembra que, ao contrário de outros serviços públicos, “a Junta de Freguesia de Vila Real nunca encerrou a suas portas ao cidadãos, mesmo durante o estado de emergência” e que “tem sido um parceiro essencial no processo de vacinação e um elo de ligação do cidadão com as diversas plataformas tecnológicas dos serviços públicos”.

 

ORÇAMENTO PARTICIPATIVO

 

Desde 2015 que uma parte do orçamento da Freguesia de Vila Real é colocado à consideração dos cidadãos, que podem apresentar projetos e decidir aqueles que vão beneficiar dessa verba. Os vencedores (2) têm sido contemplados com oito mil euros de forma a porem em prática as suas ideias.

“É um instrumento de participação cívica e uma marca de cidadania” esclarece Francisco Rocha, realçando que “somos a freguesia do distrito de Vila Real que há mais tempo implementa o orçamento participativo”, estando já em preparação a edição de 2021.

 

Festival de arte urbana “PITORESCO”

 

“É um festival de arte urbana que, todos os anos, tem dado uma nova dimensão artística a Vila Real. Os murais estão situados em locais que permitem fazer um roteiro pelos bairros e pelas ruas da cidade. Podemos dizer que, com o Pitoresco, Vila Real está a transformar-se numa galeria a céu aberto e tem conseguido colocar o nome da cidade no roteiro de arte urbana que, aos poucos, vai ganhando expressão e notoriedade no nosso país”,
afirma
Francisco Rocha.

GASTRONOMIA

 

Pito de Santa Luzia

  • Cavacórios
  • Covilhetes
  • Cristas de Galo
  • Ganchas de São Brás
  • Pitos de Santa Luzia
  • Tripas aos Molhos

 

Bombeiros cruz branca

FUTURO MAIS sustentável

A pensar no meio ambiente, a Freguesia de Vila Real é uma das que, a nível nacional, não usa pesticídas ou herbicídas para controlo de plantas infestantes. 

Quanto à não utilização de pesticidas, o presidente reforça que “é importante que a população perceba a importância dos polinizadores para os ecossistemas e para a defesa da biodiversidade, valores e conceitos que devem fazer parte da formação cívica da nossa população, principalmente os mais jovens”.

“Queremos ser uma freguesia mais verde e sustentável, que promova a economia circular, a política dos 3R (Reduzir, Reutilizar e Reciclar) e a eficiência energética. Ao mesmo tempo também queremos ajudar a prevenir e a combater o abandono e os maus tratos aos animais”, afirma Francisco Rocha. 

Parque infantil do bairro são vicente paulo

 

PROJETOS FUTUROS

 

  • Construção de um Centro de Apoio Associativo
  • Criação de um parque infantil/desportivo no Bairro Santa Maria
  • Requalificação
    do polidesportivo
    de Montezelos

Requalificação da rua de Almodena

 

 

 

 

 

 

 

 

PONTOS DE INTERESSE

Sé de vila real

 

  • Sé de Vila Real
  • Centro histórico
  • Capela Nova
  • Igreja de São Pedro
  • Igreja de São Dinis
  •  Igreja do Senhor
    do Calvário
  • Parque Corgo
  • Jardim da Carreira
  • Casa de Diogo Cão
  • Museu da Vila Velha
  • capela de nossa senhora de almodena
  • Igreja Nossa senhora
    da conceição

 

PANDEMIA “colocou-NOS À PROVA”

Com os serviços públicos fechados, foi a junta que auxiliou a população

A opinião dos autarcas no que diz respeito à luta contra a pandemia é unânime, ninguém estava preparado, mas o esforço tem dado frutos. No caso da Freguesia de Vila Real, “não deixámos créditos por mãos alheias e colocámos à disposição da população o programa ‘Nós vamos por si’, destinado a ajudar as pessoas mais vulneráveis, que não podiam/deviam sair de casa”. Ao mesmo tempo, “promovemos uma campanha denominada ‘Apoie os Nossos’, que tinha como objetivo o incentivo e promoção dos vários setores da economia presentes na nossa freguesia”.Por outro lado, “concedemos um apoio extraordinário às IPSS, quer financeiro, quer logístico, com o fornecimento de máscaras e álcool gel, que no início era material escasso e muito caro”. Mais recentemente, foram feitos protocolos com os Bombeiros da Cruz Verde e da Cruz Branca, com vista a transportar as pessoas que precisem de se deslocar ao Regia-Douro Park para serem vacinadas.Ainda no campo da pandemia, Francisco Rocha salienta o facto de “a junta nunca ter fechado portas”. “Quando os serviços públicos encerraram e os atendimentos só aconteciam por marcação, a junta foi essencial”, afirmou, referindo que “houve centenas de cidadãos que nos procuraram, principalmente aqueles com menos competências digitais”.

Parque corgo

 

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.