Sábado, 16 de Outubro de 2021

Abambres, 0 | Vila Real, 3

Apesar do frio e da chuva, os adeptos compareceram em bom número para ver mais um jogo do campeonato da Divisão de Honra da AFVR, entre o primeiro classificado e um dos aflitos, que precisa urgentemente de amealhar pontos para fugir do lugar incómodo onde se encontra. Apesar do resultado volumoso, os locais bateram-se com galhardia, mas tiveram de se render ao maior poderio do adversário, que conseguiu um bom resultado, apesar da exibição pouco colorida.

-PUB-

O Abambres entrou desinibido no «derby» e, logo nos primeiros segundos, teve uma excelente oportunidade para inaugurar o marcador, mas o poste impediu que o remate de Zé Fraga entrasse na baliza. Um susto que não terá despertado os alvi-negros, que dominavam a bola no centro nevrálgico do terreno, mas não criavam perigo para a baliza à guarda de Gomes. No entanto, aos 13’, o Abambres ficou reduzido a dez elementos com a expulsão do guarda-redes Gomes, que viu o cartão vermelho directo. A bola é endossada para a área, Gomes defende, mas deixa-a escapar e, perante a proximidade de Azevedo, acaba por tocar na bola com a mão fora da área, o que levou o árbitro, Pedro Mesquita, a mostrar o cartão vermelho directo a Gomes, depois da indicação do seu auxiliar. Uma contrariedade para os donos da casa, que se viam assim a jogar com menos uma unidade em campo, num jogo que já por si tinha um alto grau de dificuldade. Apesar de estar com mais um elemento, o Vila Real sentia dificuldades para furar no bloco defensivo local, que se mostrava bem atento às investidas do adversário pelos flancos. No entanto, aos 24’, Mico tem uma boa iniciativa pela esquerda e oferece o golo a Schuster, que teve tudo para fazer o golo, mas o remate saiu torto. Bouças ainda tentou desviar de cabeça, mas falhou escandalosamente à boca da baliza. A pressão começava a intensificar-se junto do último reduto da casa, mas nem sempre com a objectividade necessária. Até que, aos 34’, Litos, ao tentar desviar a bola da sua área, acaba por fazer o cabeceamento para a sua própria baliza, oferecendo desta forma um golo ao adversário. Um lance infeliz do atleta da casa. Apesar de ter feito pouco para estar em vantagem, o Vila Real viu-se desta forma na frente do marcador. O Abambres respondeu ao golo sofrido, mas Zé Fraga, em boa posição, não conseguiu rematar nas melhores condições, quando estava em frente a Ivo. Antes do intervalo, Azevedo teve nos pés uma boa ocasião, mas o remate saiu a rasar o poste.

Na segunda metade, o Vila Real, sem brilhantismo, continuou a ter mais posse de bola, mas teve pouca acutilância e objectividade na frente de ataque. Como tinha dificuldade em entrar na área abambrina, o Vila Real optou pelo remate de meia distância, mas a direcção também não foi a melhor. Primeiro, foi Castanha, depois foi Bessa, mas a bola saiu ao lado, nos dois lances. Só na parte final do jogo, e já com Tiago em campo, o Vila Real conseguiu imprimir outra mobilidade no seu jogo. Aos 81’, os forasteiros chegam ao segundo golo, quando Azevedo coloca em Tiago, que levanta sobre o guarda-redes e faz um golo de belo efeito, já de ângulo difícil. Volvidos dois minutos, a bola é levantada para a área, há vários ressaltos e Bessa foi o mais esclarecido, ao rematar para o fundo da baliza, sem qualquer hipótese de defesa para Rui Pedro. Já em período de compensação, o Abambres teve uma boa situação para reduzir, mas o remate foi travado por Ivo, que fez uma excelente intervenção e assim evitou que as suas redes fossem violadas.

Num terreno em péssimo estado, o Vila Real conquistou uma nova vitória e continua confortável no topo da classificação. Com as poucas armas que tinha, o Abambres lutou por outro resultado, mas teve de se render ao poderio do adversário. No entanto, a atitude desta juventude abambrina merece dias melhores.

O trio de arbitragem teve alguns lapsos, mas globalmente merece nota positiva.

No próximo jogo, o Vila Real recebe o Salto, no Monte da Forca, já o Abambres tem uma deslocação difícil até Fiolhoso.

 

Abel Ferreira, treinador do Vila Real

“Fizemos um bom jogo e ganhamos bem”

O treinador ficou satisfeito com o resultado, num jogo que, na sua opinião, teve um sentido único.

“São jogos entre jogadores que se conhecem, que já jogaram juntos, o que pode condicionar o jogo. Tivemos a vida facilitada com a expulsão do guarda-redes logo no início do jogo. A partir daí, o jogo foi de sentido único, onde o Vila Real dominou e o Abambres defendeu. Foi uma equipa sempre atrás da linha da bola e outra a tentar fazer golos. Numa primeira fase, o Vila Real não conseguiu fazer golos, mas apareceu o auto-golo que nos facilitou ainda mais a vida. A segunda parte mostrou aquilo que já esperávamos, com o jogo num único sentido, com o Vila Real à procura de fazer golos. Marcamos três, mas poderíamos ter feito mais um ou dois. O Abambres deu a réplica possível. Fomos iguais a nós próprios, fizemos um bom jogo e ganhamos bem”.

Quanto ao trabalho do trio de arbitragem, Abel Ferreira referiu que teve um desempenho positivo e esteve bem na expulsão. “A expulsão não deixa qualquer dúvida, já que o guarda-redes dá com a mão na bola, numa situação de um para um. A partir daqui, fez uma arbitragem cautelosa, onde as equipas não complicaram e toda a gente está de parabéns, nomeadamente nós, que ganhamos o jogo”.

 

José Gomes, treinador do Abambres

“A sorte não quis nada connosco”

O técnico local sublinhou que a sua equipa lutou por outro resultado, apesar de todas as contrariedades que sofreu ao longo do jogo.

“A sorte não quis nada connosco. A expulsão do nosso guarda- -redes acabou por influenciar o resultado. Depois, tivemos mais uma infelicidade, com um golo na própria baliza, quando a equipa estava a ter uma boa prestação e organização. Onze contra onze, penso que poderíamos ter feito um excelente jogo e obter um resultado bem positivo. Nos primeiros minutos, a equipa mostrou que estava bem, como já o tinha feito no jogo com o Santa Marta. Apesar das contrariedades, continuamos bem organizados e saímos do jogo de cabeça erguida. Vamos continuar a trabalhar e a procurar a sorte, porque ainda é possível e há ainda muito campeonato pela frente. Vamos olhar para nós próprios e prosseguir com o nosso objectivo, que passa pela manutenção”.

Quanto ao trabalho do trio de arbitragem, José Gomes sublinhou que Pedro Mesquita sempre foi um dos seus árbitros favoritos, e não quis falar em concreto da expulsão do seu guarda-redes. Apenas referiu que “foi uma decisão tomada em consciência”.

 

Ficha Técnica

 

Jogo disputado no D. Maria Lurdes do Amaral, em Abambres

Árbitro: Pedro Mesquita

Auxiliares: Diogo Mesquita e Luís Sousa.

ABAMBRES – Gomes, Nicolau, Pedro Martins, Pedro Miguel, Rómulo, Zé, Litos, Zé Fraga (Dany, 55’), Jota (Filipe, 70’), Sandro, Zé Bastos (Rui Pedro, 13’).

Suplentes não utilizados: João, Tó Zé e Hugo.

Treinador: José Gomes

 

VILA REAL – Ivo, Bessa, Abreu, Fredy, Francis (Nunes, 69’), Filipe (Tiago, 60’), Schuster, Castanha, Bouças (Coutinho, 82’), Azevedo, Mico.

Suplentes não utilizados: Cabreca, Júnior, Henrique e Manuel Tapada.

Treinador: Abel Ferreira.

Ao intervalo: 0 – 1

Marcadores: Litos (34’pb), Tiago (81’), Bessa (83’).

Cartão Vermelho: Gomes (13’).

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.