Terça-feira, 19 de Outubro de 2021

Adjudicação da ponte ainda sem progressos

O concurso público foi lançado em Agosto, no entanto, ainda não está concluída a fase de adjudicação dos trabalhos de reabilitação estrutural da velha ponte metálica sobre o rio Douro. O prazo terminou em Outubro e a autarquia duriense não sabe o que se passa com o processo.

-PUB-

Ainda não há “luz verde” sobre o contrato de adjudicação da obra da centenária ponte metálica, utilizada como via pedonal entre as duas margens do rio e uma ligação entre os concelhos de Peso da Régua e Lamego.

O presidente da Câmara Municipal de Peso da Régua, Nuno Gonçalves, espera que tudo corra bem, embora mostre algumas apreensões. “A intervenção na ponte está em fase de adjudicação, agora estou à espera que sejam concluídos os processos administrativos e que não haja nenhum tropeção que venha a pô- -la em causa. Espero que estes tempos conturbados e estas dificuldades financeiras que vivemos, não seja impeditivo e não venha a pôr em causa o avanço desta obra. Tudo se pode alterar, mas a obra já está numa fase eminente de poder ser adjudicada e consignada, para começar a sua reabilitação. Vamos aguardar com serenidade”, reforçou o edil.

Nuno Gonçalves salientou que esta obra é “importantíssima e emblemática” para a cidade”, considerando-a “um ex–libris”. “Finalmente, parece que conseguimos encontrar solução para ela”.

O concurso público da empreitada da Ponte metálica sobre o Rio Douro, na Régua, visa a reparação total, repondo as características originais com o pavimento em madeira, passando a travessia a ser de uso exclusivamente pedonal. Será igualmente efectuada a electrificação da ponte com vista à colocação de iluminação decorativa. Está previsto os durarem oito meses. O preço base do concurso foi de 2,1 milhões de euros e a abertura das propostas estava marcada para o mês de Outubro.

A ponte, com tramos de ferro, foi construída pelos engenheiros da Casa Eiffel, no final do séc. XIX e desactivada com a construção de uma outra ponte em pedra, que estava destinada ao caminho-de-ferro entre a Régua e Lamego, finalidade que nunca serviu, sendo posteriormente adaptada para trânsito ferroviário.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.