Quinta-feira, 30 de Junho de 2022

Agente da GNR matou a ex-namorada e suicidou-se

Motivos passionais estiveram na base de um desenlace trágico, ocorrido, na sexta-feira, no Bairro Industrial da Soda Povoa, envolvendo um militar da GNR, de 33 anos, natural de Chaves, e uma rapariga, de 21 anos, residente em Alverca do Ribatejo. O militar, depois de atingir a tiro a sua ex-namorada, suicidou-se, vindo a falecer, posteriormente, […]

Motivos passionais estiveram na base de um desenlace trágico, ocorrido, na sexta-feira, no Bairro Industrial da Soda Povoa, envolvendo um militar da GNR, de 33 anos, natural de Chaves, e uma rapariga, de 21 anos, residente em Alverca do Ribatejo. O militar, depois de atingir a tiro a sua ex-namorada, suicidou-se, vindo a falecer, posteriormente, no Hospital Garcia de Orta.

Ao que soubemos, Carlos Borges estava, há oito anos, no posto da Póvoa (Vila Franca de Xira) e, em tempos, namorou com a Cláudia. Porém, o fim da relação entre os dois nunca foi aceite pelo agente da GNR que surpreendeu a sua ex-namorada a falar com um rapaz, de 21 anos. Depois de lhes barrar caminho, com a sua viatura, disparou um tiro, acertando no pescoço de Cláudia. Atirou, ainda, sobre o companheiro desta, mas não o atingiu. Fora de si, disparou, ainda, contra a sua própria cabeça.

Entretanto, a jovem chegaria já sem vida ao Hospital de Vila Franca de Xira. Também se soube que o militar da GNR, divorciado, desde há algum tempo que acompanhava os passos da sua ex-namorada. A arma utilizada pelo militar estava legalizada.

 

Jmcardoso

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.