Quarta-feira, 14 de Abril de 2021

Alfândega da Fé finalista europeia nos galardões da mobilidade sustentável

A localidade de Alfândega da Fé, no distrito de Bragança, é uma das nomeadas pela Comissão Europeia para os galardões da Semana Europeia da Mobilidade pelo trabalho para tornar as ruas mais acessíveis.

A Agência Portuguesa do Ambiente (APA) informou que Alfândega da Fé faz parte das finalistas candidatas ao galardão 2019 na categoria de pequenas cidades divulgadas pela Comissão Europeia.

A vila transmontana é a única representante de Portugal nesta edição e concorre na mesma categoria com Cardítsa, na Grécia, e Paide, na Estónia. Na categoria de grandes cidades estão nomeadas Krusevac, na Sérvia, Rétimno, na Grécia, e Breslávia, na Polónia.

De acordo com a APA, “Alfândega da Fé foi elogiada pela diversidade e abrangência das atividades realizadas, viabilizando ruas mais acessíveis a peões e ciclistas”.

As cidades vencedoras dos galardões serão anunciadas em 30 de março numa cerimónia em Bruxelas.

A APA explica em comunicado que “os galardões da Semana Europeia da Mobilidade reconhecem a qualidade extraordinária das atividades realizadas no decurso de cada edição anual, nas suas duas categorias”.

A categoria de “grandes cidades” abrange localidades com uma população superior a 50.000 e “pequenas cidades” com menos de 50.000.

“Estes prémios permitem uma maior visibilidade e reforçam a importância do esforço significativo que os municípios fazem na promoção da mobilidade urbana sustentável durante a realização da Semana Europeia da Mobilidade, na edição passada com o tema ‘Caminhar e pedalar em segurança’”, adianta a APA.

A cidade de Lisboa venceu o galardão na categoria das “grandes cidades” na semana da mobilidade de 2018, edição do prémio em que Portugal contou ainda com outra cidade no pódio, Oliveira do Bairro, como cidade finalista na categoria de “pequenas cidades”.

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.