Quinta-feira, 11 de Agosto de 2022

Ampliação da Adega concluída em agosto

Proporcionar uma melhor operacionalização da sua atividade e ficar dotada com melhores condições de visitação e acolhimento enoturístico, são os principais objetivos da Adega de Vila Real com a obra de ampliação das suas instalações. Esta intervenção tem o apoio de fundos comunitários em cerca de 40%.

-PUB-

Com uma área de ocupação a rondar os 2300 m2, as novas instalações da Adega de Vila Real serão das melhores da região demarcada do Douro, depois de concluídas. A sua construção está a cargo de uma empresa de Lamego, Francisco Marinho, e segundo o presidente da agremiação de viticultores, Jaime Borges, a estrutura deverá estar concluída durante o próximo verão. A exiguidade e antiguidade das atuais instalações e o facto da direção da adega dar um cunho de modernidade à própria adega criando espaços adequados a sua funcionalidade concorreram para a aposta nesta construção.

Ao que apuramos junto da cooperativa, o novo edifício, vizinho do aeródromo de Vila Real e das instalações do Instituto de Meteorologia, irá receber das atuais instalações as áreas de estabilização de vinhos, parte administrativa e o produto acabado. Além disto serão dotadas de um espaço para provas de vinhos e vendas. Ficará no atual edifício climatizado só a parte técnica, ligada à enologia. “Com esta obra, acho que daremos um passo em frente em termos de modernidade e de atração turística”, sublinhou. De realçar que, a cooperativa já tinha comprado o terreno.

A Adega de Vila Real foi fundada em 1955 e está inserida na Região Demarcada do Douro, a mais antiga no mundo, sendo também reconhecida pela UNESCO como Património da Humanidade. Os seus vinhos são produzidos exclusivamente a partir de uvas provenientes das quintas dos associados, compostas maioritariamente por vinhas velhas, ainda cultivadas segundo técnicas tradicionais, com baixo nível de mecanização e baixas produções por hectare.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.