Domingo, 3 de Julho de 2022

Apoio financeiro confirma aposta do Governo no regresso das corridas

Quando falta pouco mais de quatro meses para o regresso das velocidades ao centro urbano vila- -realense, o Governo demonstrou o seu apoio à iniciativa através da dotação de meio milhão de euros que deverão ser investido na garantia da segurança do novo Circuito “Pedimos 600 mil euros, recebemos 500 mil. É muito bom”, sublinhou […]

Quando falta pouco mais de quatro meses para o regresso das velocidades ao centro urbano vila- -realense, o Governo demonstrou o seu apoio à iniciativa através da dotação de meio milhão de euros que deverão ser investido na garantia da segurança do novo Circuito

“Pedimos 600 mil euros, recebemos 500 mil. É muito bom”, sublinhou Manuel Martins, Presidente da Câmara Municipal de Vila Real, sobre o apoio financeiro do Governo ao regresso do Circuito de Vila Real que foi oficializado, no dia 19, com a assinatura de um protocolo, entre a autarquia e o Instituto de Desporto de Portugal (IDP).

Segundo Pedro Silva Pereira, Ministro da Presidência, o apoio monetário visa a implementação das medidas de segurança necessárias ao regresso do circuito urbano e reflecte a aposta do Governo num projecto com contornos muito importantes, para o desenvolvimento do concelho e da região. O Ministro salientou a importância do regresso das provas à capital de distrito, sublinhando o seu papel na “valorização da memória e da afirmação da identidade de Vila Real”. Mais: Pedro Silva Pereira considerou que as corridas “têm uma grande importância estratégica na economia”, uma vez que o seu impacto, a nível regional, servirá de estímulo a investimentos privados.

Estudos apontam para que “por cada edição das corridas, entrem, na região, cerca de 1,5 milhões de euros”, segundo contabilizou o edil vila-realense, classificando o regresso das corridas como uma ajuda no processo de resgatar a região do marasmo em que caiu, nos últimos anos.

Manuel Martins adiantou que, apesar de não se realizar, exactamente, nos mesmos moldes (uma vez que o circuito foi reduzido de cerca de sete quilómetros para quatro, dos quais 50 por cento se inserem no traçado original), a organização da 40.ª edição do Circuito do próximo mês de Outubro será, sim, o “Ano Zero” de um projecto que “se realizará nos anos pares, de forma a intercalar-se com as corridas do Porto, organizadas nos anos ímpares”.

Entre os dias 5 e 7 de Outubro, Vila Real volta a ser a “Capital Nacional do Desporto Motorizado”, um regresso, depois de 16 anos de interregno, com 10 categorias diferentes, pontuando para competições como o Campeonato Nacional de Velocidade (PTCC), Campeonato Nacional de Clássicos, Campeonato Nacional de Clássicos de Velocidade até 1300cc e Taça Nacional de Clássicos, num total de 16 corridas, entre as quais se destaca, também, o “Desafio UNO” e o “Memorial Manuel Fernandes”.

Com traçado de 4,6 km, o circuito passa pela Avenida da Europa, na qual se situará a meta, pela Avenida de Osnabruck, Rua Gaspar Sameiro, Rua Vasco Sameiro, Rua Nossa Senhora dos Prazeres e parte da Rua Visconde de Carnaxide, bem como pela Alameda de Grasse, na qual fica situada a área de apoio

O Clube Automóvel de Vila Real (CAVR), entidade que, em conjunto com a autarquia, organiza as provas, adiantou que “diversos pilotos manifestaram já a sua intenção de participar no Circuito, aguardando-se que muitos outros o façam e que diversas competições venham a ter o limite da pista atingido”.

De realçar que termina amanhã o prazo para a entrega das propostas do concurso realizado para encontrar um logótipo e um cartaz, para as corridas.

Manuel Martins aproveitou a presença do Ministro da Presidência, do Secretário de Estado do Desporto e da Juventude e do Presidente do Instituto de Desporto de Portugal para adiantar que, dentro em breve, voltará “a bater à porta do Governo”, para pedir mais apoios, desta vez para a concretização de dois projectos “essenciais” para Vila Real e que, em breve, serão discutidos, publicamente: o novo Pavilhão Desportivo e as Piscinas Cobertas do Calvário.

 

Maria Meireles

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.