Quinta-feira, 30 de Junho de 2022

Autarquia acusa CCDRN de fazer “tábua rasa” nas candidaturas ao PROVERE

Em causa está o montante de apenas 8,5 milhões de euros para a CIMDouro, quando a primeira candidatura tinha uma verba na ordem dos 13 milhões de euros 

 

O executivo municipal de Vila Real manifestou o seu descontentamento com a verba disponível para o Douro, no âmbito do PROVERE, programa de valorização económica de recursos endógenos, integrado no Quadro Comunitário Portugal 2020.

Em comunicado, o executivo, liderado por Rui Santos, considera que o montante para a região duriense, na ordem dos 8,5 milhões de euros, fica “aquém do expectável”, e os caminhos para a convergência regional “parecem tortuosos”, com este cenário.

Esta posição surge na sequência da abertura do Aviso Norte-28-2017-41 referente à segunda fase do Reconhecimento Formal das Estratégias de Eficiência Coletiva PROVERE na Região Norte. “Lamentamos que a CCDRN tenha feito ‘tábua rasa’ do processo anterior, que culminou na submissão e aprovação da

Artigo exclusivo PREMIUM

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é PREMIUM,
Aceda à sua conta em

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.