Segunda-feira, 25 de Outubro de 2021

Autarquia investe no combate contra a vespa da galha do castanheiro

O município de Alfândega da Fé anunciou hoje que deu início ao combate biológico contra a vespa da galha do castanheiro, recorrendo a largadas de parasitoides.

-PUB-

"Esta intervenção é necessária já que os primeiros focos da praga começaram em 2019, sendo urgente este ano continuar este trabalho, porque o mês de maio é o mais propício para o combate à vespa da galha do castanheiro", disse à Lusa o presidente da câmara de Alfândega da Fé, Eduardo Tavares.

O processo de combate à vespa da galha do castanheiro será feito nos próximos dias, em articulação com a RefCast (Associação Portuguesa da Castanha), estando prevista a realização de 10 a 11 largadas.

"O objetivo é agir atempadamente através da luta biológica, apenas permitida no atual estágio fenológico do castanheiro para evitar quebras na produção de castanha", indicou o autarca.

A luta biológica contra esta praga consiste na largada dos parasitoides 'Torymus sinensis', insetos que se alimentam das larvas que estão nas árvores e são capazes de exterminar a vespa.

O município de Alfândega da Fé vai também disponibilizar um serviço de apoio técnico aos agricultores com o objetivo de mitigar as principais pragas e doenças que atacam os soutos.

"Atentos ao aparecimento de focos da vespa da galha do castanheiro no concelho, principalmente junto a cinco aldeias junto à Serras de Bornes, que se traduz em 500 hectares de soutos, lançamos um alerta aos produtores para que vigiem as suas plantações e que comuniquem a existência de possíveis gomos infetados", afirmou Eduardo Tavares, acrescentando que "este serviço permite que cada produtor tenha um acompanhamento técnico adequado à sua exploração".

 

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.