Quarta-feira, 17 de Agosto de 2022

Autarquia promove programa “A Escolar”

Para a dinamização do programa foram contratadas quatro docentes ao abrigo de um protocolo com o IEFP. Atividades arrancam já na próxima segunda-feira.

-PUB-

Mais de 1.300 alunos das escolas do concelho vão beneficiar do programa “A Escolar”, um projeto da Câmara Municipal Vila Real que, ainda em fase piloto, pretende intervir e aprofundar a formação de crianças em temáticas como o património local e a educação para a cidadania e valores.

“Estamos nos primeiros 25 municípios portugueses numa série de indicadores sobre a Educação, mas há muita coisa a melhorar, passo a passo”, defendeu José Maria Magalhães, vereador da autarquia.

O programa “A Escolar” que foi apresentado publicamente no dia 23 e vai entrar em funcionamento já na próxima segunda-feira em dois agrupamentos do concelho, é um exemplo desse esforço do município para, em colaboração com as escolas, aprofundar, de forma lúdica, várias temáticas, nomeadamente “Património Local”, a “Educação para a Saúde”, “Ciência na Escola” e “Educação para a Cidadania e Valores”.

Alexandre Favaios, da Câmara Municipal, explicou que o programa vai desenvolver-se “em contexto de sala de aula, em jardins-de-infância e escolas do 1º Ciclo, com intuito de desenvolver e aprofundar temáticas relevantes na formação de cidadãos responsáveis e conscientes do seu papel na sociedade”.

O “A Escolar” vai ainda ter um papel ativo no âmbito dos serviços de apoio, nomeadamente nas Atividades de Animação e Apoio à Família (AAAF) e no Complemento de Apoio à Família (franjas horárias em que as escolas recebem os alunos antes e depois do período de aulas).

Finalmente, outra vertente do programa, que na sua fase piloto vai desenvolver-se nos agrupamentos Diogo Cão e Morgado Mateus, prende-se com as interrupções escolares, estando já agendadas atividades para as férias da Páscoa (23 a 27 de março) e de verão (15 de junho a 17 de julho).

Para que o desenvolvimento do programa “A Escolar” seja possível, a autarquia contratou quatro professoras ao abrigo de um protocolo com o Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), assumindo assim apenas 50 por cento dos respetivos salários.

As docentes contratadas vão trabalhar em articulação com os professores das várias escolas, estando previsto a participação de 52 turmas, num total de 1105 alunos, no que diz respeito à intervenção em contexto de sala de aula, e de 10 escolas (Jardins de Infância/1º Ciclo) relativamente às atividades desenvolvidas nas ‘franjas’ horárias, um serviço para o qual as crianças (que já usufruem das AAAF) deverão ser inscritas pelos encarregados de educação sem custos adicionais.

Alexandre Favaios referiu ainda que sobre os períodos de férias, “o objetivo não é fazer concorrência com outros programas de ocupação de tempos livres desenvolvidos por clubes ou associações”, por isso as atividades serão desenvolvidas apenas no período da manhã ou da tarde, e os custos serão assumidos pelos pais, sendo o pagamento indexado ao escalão do abono de família.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.