Quarta-feira, 17 de Agosto de 2022

Autarquia vai candidatar Tresminas a Património Mundial

Complexo Mineiro de Tresminas e Jales vai ser alvo de uma candidatura a Património Mundial da Humanidade já em 2015.

-PUB-

O Complexo Mineiro de Tresminas e Jales vai ser alvo de uma candidatura a Património Mundial da Humanidade já em 2015.

Há uma década, a Câmara de Vila Pouca de Aguiar iniciou um projeto de investigação, requalificação e preservação para potenciar o complexo mineiro romano, num investimento global de cinco milhões de euros, onde está ainda incluída a construção de um centro interpretativo em Jales.

Considerada como uma das maiores explorações mineiras do mundo romano, o presidente da autarquia aguiarense, Alberto Machado, destacou a “importância histórica” das minas a céu aberto, que originou as crateras de grandes dimensões que testemunham, até hoje, na paisagem o esforço humano ali empreendido. A exploração de ouro decorreu ao longo de 450 anos e depois não teve mais intervenções. “Este é um património arqueológico único que se tem preservado”, por isso “é necessário reconhecer o valor natural de Tresminas, que irá conduzir à sua classificação como Património Mundial da UNESCO”.

Neste momento, em Tresminas está em fase de conclusão a construção de um anfiteatro exterior e de um auditório subterrâneo, que inclui camarins e sala de exposição, onde estará em permanência um filme explicativo sobre o que era e o que é atualmente o complexo.

Patrocinada pela espanhola Iberdrola, já está a ser preparada uma outra intervenção, que resulta das contrapartidas pela construção das barragens do Alto Tâmega.

Recorde-se que, no concelho estão a decorrer trabalhos de prospeção nas minas de Jales, que fecharam na década de 90. O projeto em Jales inclui a construção de um centro interpretativo e limpeza de um quilómetro de galerias que ali foram escavados ao longo dos anos.

 

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.