Terça-feira, 27 de Julho de 2021

Azulejaria na freguesia de Telões

Uma aposta na azulejaria, arte portuguesa que se tornou um dos ícones do nosso país a partir do século XVIII, está a ser feita na freguesia aguiarense de Telões, integrada nos trabalhos de requalificação que a autarquia municipal está a levar a cabo nos centros habitacionais das suas localidades, no caso em Tourencinho (aqui em parceria com o Conselho Diretivo de Baldios) e na sede da freguesia.

-PUB-

Os azulejos, habitualmente, configuram as naves e as fachadas dos templos religiosos, mas, neste caso, ficam patentes na via pública, para usufruto da sociedade civil, das pessoas que por ali passam. 

No primeiro caso, um painel de azulejos foi instalado num fontanário também ele reconvertido junto da ciclovia e da igreja (Fontanário do Carril). Esse painel, por si só, revela expressivamente a história da aldeia transcrita pelo fabrico da telha, pela atividade dos oleiros do barro preto, pelos trabalhos agrícolas, sem esquecer as marcas deixadas por civilizações antigas (anta e sarcófagos de Xudreiros) e um dos seus símbolos mais apreciados, a capela de Nossa Senhora do Extremo, situada no topo da serra da Falperra. Na aldeia de Telões, o arranjo da sua parte central (onde se situa a capela de Nossa Senhora da Vitória) enobreceu um espaço que, habitualmente é muito frequentado pelos habitantes e por quem ali se dirige vindo de fora. De caraterísticas diferentes das do painel de Tourencinho, os azulejos da composição que antecipam uma escadaria de granito também referem os trabalhos agrícolas mais comuns e tradicionais do vale, referência aos casais feirantes (em Telões foi recuperada também, recentemente, por iniciativa da sua Junta de Freguesia, uma feira tradicional, a do Ferreirinho) e a imagem altiva da igreja paroquial dedicada ao Divino Salvador.

Esta disposição dos telonenses em alindar os seus espaços com painéis é uma mais-valia dos seus conteúdos, sendo certo que se trata de lugares com história e com equipamentos sociais de grande qualidade.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.